transito
ECONOMIA

Antes mesmo de sabatina de Campos Neto na CAE, senadores criticam juros altos

19 Fev 2019 - 12h19Por Fabrício de Castro

Após a leitura do relatório do senador Eduardo Braga (MDB-AM) sobre a indicação do economista Roberto Campos Neto à presidência do Banco Central, senadores presentes à Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado criticaram na manhã desta terça-feira, 19, os juros altos e a concentração bancária no Brasil. As críticas dão pistas sobre o tom da sabatina que será enfrentada por Campos Neto, no dia 26, para aprovação de seu nome na Casa.

"A sabatina será a oportunidade para que senadores discutam algumas questões que impactam o cotidiano do povo, dos trabalhadores, dos empreendedores e investidores", disse Braga. "O Brasil tem hoje uma taxa Selic que é referência para captação do funding bancário. O que não se consegue entender é como a Selic é de 6,5% ao ano e, para o consumidor, a taxa varia de 35% a 250% ao ano. Será que não é falta de concorrência?", questionou.

O presidente da CAE, senador Omar Aziz (PSD-AM), acrescentou, em referência ao spread bancário: "O Brasil só perde para Madagáscar em termos do que se deposita e do que vai pegar em empréstimo."

O senador Rogério Carvalho (TP-SE) defendeu que a CAE terá "oportunidade ímpar de abrir o debate sobre a reforma do sistema bancário brasileiro". "Não é possível pessoas físicas pagarem 300% de cheque especial", pontuou. "É impossível tocar a economia com cinco grandes bancos concentrando 86% do mercado brasileiro."

Carvalho afirmou ainda que apresentou nesta terça um requerimento de audiência pública para iniciar um debate sobre a reforma do sistema financeiro, "para que possamos de fato colocar o sistema financeiro a serviço do Brasil".

Matérias Relacionadas

Economia

Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história

Cerca de 5,6 milhões de contribuintes receberão R$ 9,5 bilhões
Receita abre consulta a maior lote de restituição do IR da história
Economia

Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio

Esse é o segundo resultado positivo consecutivo, apurado pela CNC
Intenção de Consumo das Famílias avança 1,3% em maio
Santa Catarina

Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia

Implantação do novo sistema comercial teria apresentado instabilidade
Celesc emite comunicado sobre erros nas faturas de energia
Economia

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC

Responsável por 3,7% do PIB, setor de defesa é oportunidade para indústria de SC
Ver mais de Economia