Caraguá
Caraguá
ECONOMIA

Alíquota de contribuição da Previdência cairá de 8% para 7,5%, diz Marinho

20 Fev 2019 - 12h05Por Julia Lindner e Sandra Manfrini

O secretário especial da Previdência e Trabalho do Ministério da Economia, Rogério Marinho, defendeu que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) da reforma da Previdência, entregue nesta quarta-feira, 20, ao Congresso Nacional, ataca o problema da desigualdade e os privilégios. Após acompanhar o presidente Jair Bolsonaro ao Congresso, Marinho disse que as alíquotas de contribuição do INSS serão reduzidas para até 70% daqueles que contribuem hoje com a Previdência, caindo de 8% para 7,5%, conforme antecipou o Broadcast, sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado.

Ele informou ainda que as alíquotas terão uma escala crescente, a exemplo do que ocorre com o imposto de renda. "Quem estiver no teto do serviço público e também do funcionalismo, acima do teto, pagará 22% de alíquota", disse.

Marinho disse que o governo apresentará hoje ou amanhã proposta para endurecer cobrança de dívidas previdenciárias a partir de R$ 15 milhões. Segundo ele, são 4 mil devedores do INSS em todo o Brasil.

Questionado pela imprensa se o momento de apresentação da PEC não seria o ideal, em razão da crise política que culminou com a saída do governo do ministro da Secretaria-Geral, Gustavo Bebianno, Marinho disse que a reforma da previdência é uma pauta que não pertence ao governo, mas ao País. "Nós temos convicção de que qualquer que seja o resultado provável ou qualquer intempérie política, essa pauta ela vai se sobrepor. É uma pauta que o Brasil não pode aguardar, não pode esperar", disse.

O secretário completou ainda que o governo tem convicção de que há clima favorável à reforma. "Nós confiamos que o Congresso fará a sua parte, vai aperfeiçoar o texto, vai dar a sua contribuição e, em tempo hábil, apresentará à nação brasileira um instrumento adequado para reconstruir o sistema previdenciário nessa nova previdência e ao mesmo tempo apontar bases para o futuro", afirmou.

Marinho defendeu ainda que o País precisa de uma resolução para a situação previdenciária e voltou a dizer que a proposta apresentada tem equidade, ataca privilégios, combate fraudes e, ao mesmo tempo, "de uma forma muito forte, determina que quem ganha mais vai contribuir mais e quem ganha menos vai contribuir com menos". "Não tenho dúvida de que vamos ter êxito nesse processo", completou.

Caraguá

Matérias Relacionadas

Segurança

Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix

Foram vazados dados cadastrais da Acesso Pagamentos
Banco Central comunica vazamento de dados de 160,1 mil chaves Pix
Economia

Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis

Em 2021, a gasolina e o diesel subiram 47%, Etanol acumula alta de 62%
Presidente negocia PEC para zerar impostos sobre combustíveis
Economia

Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022

Confira o reajuste que será concedido aos trabalhadores
Sindicato dos Metalúrgicos da região e classe patronal fecham reajuste para 2022
Geral

Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões

Próximo sorteio será no sábado
Mega-Sena acumula e próximo concurso deve pagar R$ 22 milhões
Ver mais de Economia