ECONOMIA

Aberturas de capital serão históricas, diz presidente da Caixa

15 Mar 2019 - 14h45Por Denise Luna, Fernanda Nunes e Vinicius Neder

O presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães, afirmou nesta sexta-feira, 15, que as operações de abertura de capital de subsidiárias do banco público "serão históricas". Em palestra durante o seminário "A Nova Economia Liberal", na Fundação Getulio Vargas (FGV), no Rio, Guimarães contou que aproveitou o carnaval para manter encontros com investidores estrangeiros, no exterior.

"No exterior, as pessoas falando que as operações já estão compradas", afirmou Guimarães, completando que os investidores estrangeiros têm demonstrado confiança na equipe econômica do governo Jair Bolsonaro.

O presidente da Caixa afirmou em entrevistas recentes que o objetivo é levantar R$ 15 bilhões com as operações de abertura de capital das subsidiárias.

Segundo ele, a primeira operação, envolvendo a Caixa Seguridade, está prevista para setembro.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Mercado de energia solar cresce 70% e se posiciona como promissor e lucrativo no Brasil

Mercado de energia solar cresce 70% e se posiciona como promissor e lucrativo no Brasil
Economia

Pagamento do abono anual para segurados da Previdência é antecipado

Abono equivale ao 13º salário dos segurados
Pagamento do abono anual para segurados da Previdência é antecipado
Política

Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão

Durante o encontro, os associados da Acias fizeram alguns questionamentos e foram prontamente esclarecidos
Administração de Schroeder presta contas dos primeiros 100 dias de gestão
Economia

Parceria entre WEG e Vale dá início a produção de eletrocentros em Minas Gerais

Contrato firmado entre WEG e Vale prevê o fornecimento de eletrocentros solares para implantação do Projeto Sol do Cerrado, um dos maiores parques de geração de energia fotovoltaica do Brasil
Parceria entre WEG e Vale dá início a produção de eletrocentros em Minas Gerais
Ver mais de Economia