ECONOMIA

À espera de CCJ, juros alternam viés de alta e baixa em linha com ritmo do dólar

17 Abr 2019 - 11h06Por Karla Spotorno

Os juros futuros abriram estáveis nesta quarta-feira, 17, e, pouco depois, alternaram viés de baixa e viés de alta ao longo de toda a curva. O movimento acompanha a oscilação da intensidade da queda do dólar no mercado doméstico. A moeda americana tem uma sessão de enfraquecimento global após dados da China.

O DI para janeiro de 2020 abriu a 6,46% mesma taxa no ajuste de terça-feira, 16. Marcou mínima a 6,445% e máxima a 6,465%. O DI para janeiro de 2021 abriu a 7,09% ante 7,10% no ajuste da véspera. Marcou mínima a 7,07% e máxima a 7,10%. O DI para janeiro de 2025 abriu a 8,76% mesma taxa no ajuste de ontem. Marcou mínima a 8,73% e máxima a 8,78%.

Sobre o noticiário doméstico, os agentes econômicos continuam afirmando que é preciso agir com cautela. Há preocupações sobre o ritmo de tramitação da reforma da Previdência e sobre a capacidade governista de evitar que se vote algo além da admissibilidade na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Deputados da oposição querem discutir e votar questões que, via de regra, seriam debatidas somente na comissão especial.

Também preocupa a crise envolvendo a Petrobras. O entendimento é que, mesmo depois da entrevista à imprensa nesta terça, não está totalmente esclarecido se a estatal terá mesmo liberdade para decidir os preços de seus produtos. O ministro da Economia, Paulo Guedes, disse que a empresa é livre para tomar suas decisões, porém afirmou que falta transparência na política de preços da companhia.

Na agenda local desta manhã, os destaques foram a segunda prévia de abril para o IGP-M. Segundo a FGV, o dado teve alta de 0,78% após ter aumentado 1,06% na segunda prévia de março. Com o resultado, o índice acumulou elevação de 2,96% no ano de 2019 e avanço de 8,50% em 12 meses.

A FGV também divulgou o Monitor do PIB, que mostrou que a economia brasileira encolheu 0,4% na passagem de janeiro para fevereiro. Na comparação com o segundo mês de 2018, porém, a atividade econômica avançou 2,3% em fevereiro deste ano.

O resultado "é consequência das retrações nas três grandes atividades econômicas (agropecuária, indústria e serviços). Apesar disso, os resultados interanuais mostram melhora substancial da economia, tanto pelo lado da oferta quanto pelo lado da demanda", avaliou Claudio Considera, coordenador do Monitor do PIB-FGV, em nota oficial.

Na agenda internacional, os destaques são a divulgação do Livro Bege, sumário das condições econômicas em cada um dos distritos do banco central dos EUA, às 15h. Nesse início de manhã, a atenção segue voltada para o detalhamento dos dados sobre a economia chinesa, que cresceu 6,4% no primeiro trimestre de 2019, pouco acima da precisão do mercado (6,3%).

Por outro lado, o Ministério de Economia e Energia da Alemanha anunciou nesta quarta-feira um novo corte na projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2019, reduzindo-a do 1,0% estimado no fim de janeiro para 0,5%.

Premix Concreto

Matérias Relacionadas

Geral

Número de acessos móveis no Brasil cresce e fecha 2020 com 234 milhões

Número é maior que população porque muitos têm mais de um chip
Número de acessos móveis no Brasil cresce e fecha 2020 com 234 milhões
Economia

Caixa paga seguro-desemprego em conta poupança social digital

Benefício começa a ser pago hoje
Caixa paga seguro-desemprego em conta poupança social digital
Geral

Empresa jaraguaense inova lançando acrílico antiviral

Parecido com o acrílico convencional, o Bold NanoPower mantém alto grau de transparência e pode passar pelos mesmos processos de beneficiamento, como corte, dobra, usinagem e moldagem, sem perder o poder virucida
Empresa jaraguaense inova lançando acrílico antiviral
Economia

Dólar fecha no menor nível em um mês após acordo sobre Orçamento

Bolsa de Valores tem pequena queda em dia de ajustes
Ver mais de Economia