O que comer no jantar?

O jantar é uma das refeições mais importantes do dia, mas ainda gera muitas dúvidas. Hoje, vou esclarecer algumas delas:

24 Jun 2020 - 10h33Por Cristiane Molon

Vamos começar pelo horário? Não existe um momento específico, até porque cada pessoa funciona de uma maneira metabolicamente falando. No entanto, entendo que, quanto mais cedo for o jantar, melhor! Recomendo até as 19h30, tendo em vista que à noite somos menos ativos e, dependendo do tipo de alimentação ingerida, pode fazer com que acumulemos as calorias extras, além de dificultar o sono profundo.

Aposte em comidas leves e em porções menores. Evite substituir comida por lanches inadequados, ricos em gorduras. Uma sopa de legumes e frango ou caldos de legumes preparados em casa são boas opções para o jantar e no inverno vão muito bem, né? Gosto também de peixe ou frango grelhado com saladas e legumes. Para quem gosta de ceia: prefira abacate, amêndoas ou frutas como kiwi, mirtilo ou morangos.

Evite comer à noite: doces, sorvetes, pães, bolos, chocolate, frituras e carne vermelha. Se for para consumi-los, prefira durante o dia, assim tem possibilidade de queimar as calorias extras. 

Quais alimentos compõem a janta ideal? Ideal para quem? Vai depender do objetivo de cada um, se é atleta, treina à noite, quer emagrecer, quer aumentar massa magra. A alimentação deve ser de acordo com as necessidades individuais.

O ideal é que o jantar contemple os macronutrientes: carboidratos complexos (aipim, batata-doce, mandioquinha, inhame, arroz integral com feijão), proteínas (peixe, ovos) e gorduras (azeite de oliva, abacate, oleaginosas). A qualidade do alimento consumido tem relação direta com a qualidade do sono. Para uma boa digestão, recomenda-se investir na mastigação e evitar exageros, como açúcares, frituras, carnes, tendo em vista que a digestão desses alimentos é mais lenta, podendo ocasionar inquietação e insônia. É importante frisar que a ingestão de café, chá verde e refrigerantes a base de cola devem ser evitados a partir das 14h, pois são estimulantes e podem dificultar o descanso do cérebro.