Cirurgia urológica minimamente invasiva

Menos cortes e tempo de recuperação, mais qualidade de vida.

30 Jul 2020 - 18h55Por Lucas Galdino

A medicina acompanhou o avanço tecnológico e, hoje, oferece uma variedade de tratamentos, procedimentos e cirurgias com os melhores recursos e custo-benefício. Na área da urologia, o destaque vai para a cirurgia urológica minimamente invasiva. 

Como o nome diz, ela acontece por meio de pequenas incisões na pele e o auxílio de uma câmera que aumenta a imagem em até 20 vezes, associado a pequenas pinças. Dessa forma, o cirurgião é capaz de realizar procedimentos de grande porte sem a necessidade de grandes incisões. 

O resultado dos procedimentos minimamente invasivos são os mesmos das cirurgias tradicionais. Porém, há um ganho enorme no que se refere à dor pós-operatória, que é menor, com retorno precoce às atividades laborais, menos sangramento e tempo de internação e, ainda, um resultado estético satisfatório.  

Em determinados procedimentos urológicos, é possível realizar o tratamento sem a necessidade de cortes, por meio da instrumentação a partir da uretra (canal do xixi). O ganho dos pacientes com esse avanço tecnológico é enorme, não sendo necessário nenhum corte no abdome, como se fazia há alguns anos.