Unimed

Perda do olfato: sintoma e sequela da Covid-19 também pode ser sinal de outras doenças

A pandemia do novo coronavírus fez ganhar popularidade o treinamento olfativo, que ajuda os pacientes a perceber os cheiros corretamente.

02 Mar 2021 - 09h26

Responda rápido: qual é a importância do olfato para você? Em tempos de Covid-19, ele ganhou um destaque ainda maior por causa dos casos, cada vez mais numerosos, de perda desse sentido, seja como sintoma ou sequela da doença. 

Mas, muito além disso, também pode indicar diversas outras enfermidades. Segundo o médico otorrinolaringologista Márcio Freitas, é comum sentir mudanças na intensidade dos cheiros quando há ocorrência de desvio do septo nasal, rinites frequentes, sinusites e pólipos nasais.

“Geralmente, sentimos que tudo ficou com um gosto estranho ou sem sabor. Mas, não é preciso perder olfato e paladar juntos, necessariamente”, comenta. 

O especialista explica que isso acontece, pois, a língua é responsável por sabores específicos, como doce e amargo. Já o restante, vem pelos aromas que chegam ao organismo através do nariz. Importante no dia a dia, o olfato ainda serve como um mecanismo de defesa. Isso porque, cabe a ele os primeiros alertas quando estamos em perigo eminente provocado por substâncias como gás ou em ocorrências de incêndio. 

Por tudo isso, a perda do sentido precisa ser investigada e tratada de forma correta. Segundo Freitas, a pandemia do novo coronavírus fez ganhar popularidade o treinamento olfativo, que ajuda os pacientes a perceber os cheiros corretamente. Nele, depois de investigar as causas reais, o médico apresenta diversos aromas distintos, como creme dental e café, fazendo com que o cérebro volte a diferenciá-los. O tratamento deve ser guiado pelo especialista para ter bons resultados.