Gripe comum x coronavírus

Os sintomas são os mesmos, mas atenção para aumento gradativo da febre!

10 Mar 2020 - 12h00Por Marcio Freitas

Apesar de ser difícil diferenciar o coronavírus de uma gripe comum, a febre que aumenta com o passar do tempo é um sinal de alerta, assim como uma forte dificuldade de respirar. Nesses casos, é preciso buscar ajudar imediata. 

Cerca de 83% das pessoas contaminadas apresentam febre e tosse e 30% têm dificuldades para respirar. A taxa de mortalidade ocasionada pelo contágio do coronavírus é baixa se comparada com os óbitos da gripe A, por exemplo. Até o momento, 1,7% a 2% das pessoas infectadas por Convid-19, nome dado para a doença provocada pelo novo vírus, vão à óbito. Em contrapartida, as mortes por gripe A chegam até 30%. O novo surto tem levado à morte, principalmente, idosos acima de 80 anos, sendo 14% dos casos graves. Ainda não se sabe exatamente o porquê, mas crianças e adolescentes são os menos atingidos. 

A situação mundial não deve ser motivo de pânico, mas, sim, de prevenção. Os cuidados que devem ser tomados são os mesmos da gripe normal:

- Evitar ficar muito próximo a pessoas com tosse. Estabelecer distância de, pelo menos, dois metros
- Usar, sempre que possível, álcool em gel
- Lavar corretamente as mãos
- Deixar os ambientes sempre ventilados

Com a chegada do outono, os vírus da gripe são transmitidos com mais facilidade por conta das temperaturas amenas. Por isso, alimentação adequada, ingestão maior de água e atividade física ajudam a tornar o sistema imunológico mais resistente. Um organismo mais debilitado favorece o contágio de qualquer vírus ou infecção e evolui para quadros mais graves.