Dor de cabeça pode intensificar no inverno

A mudança de clima requer adaptação do organismo, fator principal para o surgimento do incômodo

28 Jul 2020 - 18h53Por Marcio Freitas

A mudança de clima requer adaptação do organismo, fator principal para o surgimento do incômodo

No inverno, o frio pode chegar acompanhado de outros incômodos, como dor de ouvido, de garganta e de cabeça. Nesta época do ano, os vasos sanguíneos da superfície da pele se contraem para inibir a perda do calor corporal, o que pode causar um aumento da pressão sanguínea e das dores de cabeça. Porém, sentir dor de cabeça também é sintoma para outras doenças, que podem ser relacionadas a questões respiratórias ou até mesmo à alimentação.

Em geral, rinites, sinusites, amigdalites e faringites provocam dor ou desconforto no nariz e na garganta, febre baixa ou alta e, muitas vezes, dor de cabeça pelo próprio estado inflamatório ou infeccioso. Começar o tratamento das inflamações pode ajudar a amenizar o problema. 

Quem já enfrenta as temidas enxaquecas pode sofrer ainda mais com a chegada das baixas temperaturas. Como quem sofre com o problema já apresenta mais sensibilidade, qualquer necessidade de adaptação do organismo a estas mudanças pode sobrecarregar os mecanismos que já são frágeis e desencadear uma crise de dor de cabeça. 

Porém, embora os episódios no frio sejam mais comuns entre pessoas que já sofrem com a enxaqueca, qualquer pessoa está sujeita a enfrentar o desconforto decorrente das baixas temperaturas. Se você identificou que o frio é um gatilho para suas dores de cabeça, fale com o seu médico. Ele poderá indicar cuidados específicos para garantir o seu bem-estar durante a estação.