Você namora alguém? ... / ou / ... Você namora com alguém?

Na última coluna, abordamos a regência de alguns verbos que costumam provocar dúvidas em relação a maneira como se relacionam com os termos que os seguem dentro da oração

15 Nov 2019 - 11h00Por Leoní Cimardi

Atendendo a pedidos, vamos dar continuidade à lista dos tais verbos que tiram a tranquilidade dos que estudam a Língua Portuguesa, sobretudo, daqueles que estão às vésperas de prestar algum concurso público, exames escolares ou testes admissionais de toda ordem.

Enumeraremos os verbos dando sequência àqueles da coluna anterior, que foram do 1 ao 9.

10. INFORMAR

O verbo é transitivo direto e indireto, assim ele exige um complemento sem e

outro com preposição:

Informei o fato aos parentes.

11. IR

O verbo ir é regido pela preposição “a”:

Irei à Bahia nas férias. (para + a= à)

12. IMPLICAR

a) com o sentido de consequência, o verbo implicar é transitivo direto, logo não exige preposição:

A sua opinião implicará um novo olhar sobre seu caráter.

b) com o sentido de embirrar, é transitivo indireto, logo exige preposição:

Implica com todas as coisas da irmã!

13. MORAR

O verbo morar é regido pela preposição “em”:

Moro na casa amarela. (em + a = na)

14. NAMORAR

O verbo namorar é transitivo direto, apesar de as pessoas o usarem sempre seguido de preposição:

Namoraria Helena se ela me enxergasse.

"Namoraria com Helena se ela me enxergasse" não é gramaticalmente aceito.

15. PREFERIR

O verbo preferir é transitivo direto e indireto, ou seja, exige um complemento sem e outro com preposição. Assim:

Prefiro pêssego a goiaba.

16. SIMPATIZAR

O verbo simpatizar é transitivo indireto e exige a preposição "com":

Simpatizei com Helena assim que a vi.

17. PAGAR

a) quando informamos o que pagamos o complemento não tem preposição:

Paga o sorvete?

b) quando informamos a quem pagamos o complemento exige preposição:

Paga o sorvete ao dono do bar.

18. CHAMAR

O verbo “chamar” possui uma diversidade de regência. Isso significa que, dependendo dos valores e do emprego desse verbo, ele pode ser transitivo direto ou transitivo indireto. Vamos analisar cada um dos casos em que há uma variação significativa desse verbo e de sua regência.

a) Quando o verbo “chamar” possuir o significado de “fazer vir”, “convocar”, ele será um verbo transitivo direto, ou seja, será usado com um objeto direto (sem preposição).

* Chamaram todos os funcionários para a reunião.

b) Quando o verbo “chamar” possuir o significado de “invocar”, será acompanhado da preposição por + objeto indireto, ou seja, será transitivo indireto.

* O menino chamou pelo pai. (por + o= pelo)

c) Quando o verbo “chamar” possuir o significado de “qualificar”, “apelidar”, “dar nome”, pode ser usado das seguintes formas: · Objeto direto + predicativo

Chamei-o covarde.

· Objeto direto + predicativo (precedido pela preposição de)

Chamaram-na de louca.

· Objeto indireto + predicativo

Chamam-lhe fenômeno.

· Objeto indireto + predicativo (precedido da preposição de)

O pai chamou-lhe de campeão.

Mande suas dúvidas.

Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!