CMJS - Agosto

Violino Ecológico

Um violino feito de fibra de carbono ganhou o primeiro lugar num concurso realizado na Alemanha. O instrumento da marca mezzo-forte dividiu o prêmio com outro violino feito de madeira

10 Mai 2019 - 07h00Por Magnus Behling

Um violino feito de fibra de carbono ganhou o primeiro lugar num concurso realizado na Alemanha. O instrumento da marca mezzo-forte dividiu o prêmio com outro violino feito de madeira pelo luthier Andreas Haensel. Luthier é um profissional especializado na construção e no reparo de instrumentos de corda com caixa de ressonância.

A notícia causou sensação no mundo musical, pois parecia impossível que a fibra de carbono pudesse substituir as madeiras nobres na fabricação de instrumentos de corda. Durante séculos se acreditou que somente madeiras raras como o átiro, o abeto e o ébano fossem adequadas para produzir instrumentos superiores.

Já faz alguns anos que surgiram no mercado arcos para instrumentos de corda feitos de fibra de carbono. A novidade não poderia vir em melhor hora, pois os arcos de qualidade eram feitos basicamente do nosso pau-brasil, uma madeira praticamente extinta. Muitos músicos profissionais utilizam sem receio o arco de fibra de carbono com excelentes resultados.

Existe uma espécie de fetiche nos instrumentos feitos por dois luthiers em especial: Antonio Stradivari e Giuseppe Guarnieri, conhecido como Del Gesu. Um instrumento destes tem aproximadamente 300 anos e tem o custo proibitivo de milhões de dólares. Como já comentamos em outras colunas testes feitos às cegas não conseguem comprovar a superioridade destes instrumentos frente aos exemplares atuais de qualidade.

Agora com instrumentos de fibra de carbono vencendo competições importantes é possível ficar um pouco mais tranqüilo com o futuro do violino. As madeiras cada vez mais raras poderão ser substituídas sem grandes desvantagens por materiais sintéticos. Para os alunos iniciantes podemos pensar até em abolir totalmente os instrumentos de baixa qualidade feitos de madeiras baratas trocando por similares sintéticos. Vamos reservar as madeiras nobres apenas para os instrumentos de grande qualidade. A natureza agradece.