Vasectomia: apesar de seguro, procedimento ainda é cercado de mitos e dúvidas

O procedimento é simples, apenas exigindo anestesia local, e tem recuperação rápida. No pré-operatório, são poucos os exames necessários.

29 Nov 2018 - 07h30Por Raphael Lahr

Planejar o tamanho da família é um assunto que, cada vez mais, tem entrado na pauta de casais de todo o mundo. Por isso, alternativas cirúrgicas para evitar uma gravidez indesejada chamam atenção de homens e mulheres e, ano após ano, consolidam-se como opções seguras e eficientes.

A vasectomia é uma delas. Apesar de ainda estar cercado de dúvidas e mitos, o procedimento vem ganhando espaço. Nos anos 2000, a quantidade de cirurgias realizadas pelo SUS (Sistema Único de Saúde) chegou a crescer mais de 300% no Brasil. Porém, em comparação com o número de laqueaduras realizadas em mulheres, ainda é inferior, mesmo sendo mais segura e barata.

O procedimento é simples, apenas exigindo anestesia local, e tem recuperação rápida. No pré-operatório, são poucos os exames necessários. Além disso, o paciente vai para casa logo após realizá-lo e pode voltar às atividades normais depois de dois ou três dias, dependendo da profissão.

Mesmo com tamanha facilidade, muitos homens ainda se sentem inseguros em relação à vasectomia. Isso acontece por falta de conhecimento. Por isso, é interessante ressaltar que a cirurgia não deixa o homem impotente, não altera o desejo sexual e nem o desempenho sexual.

Ela pode ser realizada por qualquer um, desde que com mais de 25 anos de idade ou com, pelo menos, dois filhos vivos. O mais importante é o paciente ter certeza quanto ao desejo de não gerar outras crianças. O procedimento também é indicado em casos nos quais uma nova gestação pode trazer riscos à mãe ou ao bebê.

Saiba mais:

- Todo homem com prole constituída e bem decidido quanto a não ter mais ter filhos pode fazer o procedimento.

- A vasectomia costuma ser reversível, no entanto, é importante que o homem esteja bem consciente em relação ao procedimento. Quanto mais tempo após a realização da vasectomia, menor a chance de sucesso em uma possível reversão.

- Um estudo recente da Universidade de Frankfurt, na Alemanha, descobriu que os homens têm mais vontade de fazer sexo após serem vasectomisados.

- A vasectomia torna o homem estéril. Porém, não interfere na produção de hormônios masculinos e no desempenho sexual.