Período de férias exige atenção quanto ao consumo de bebidas alcoólicas

Beber álcool em excesso é prejudicial e pode resultar em diversas doenças

19 Dez 2019 - 17h57Por Lucas Galdino

Fim de ano e comemorações: uma combinação perfeita. Nesse período, o consumo de álcool aumenta, e é ainda maior entre o público masculino. Pode ser difícil resistir a uma caipirinha, à cerveja gelada, aos drinks e espumantes durante as festas, na piscina ou praia com a família e os amigos. Mas, o exagero requer atenção.

Afinal, a ingestão de etanol não é benéfica e afeta o organismo, podendo provocar alterações no cérebro, câncer, problemas hepáticos, como a cirrose, alterações cardiovasculares, com risco de infarto e AVC (Acidente Vascular Cerebral) e infertilidade. Além disso, o alcoolismo se transforma em arma mortífera no trânsito. 

De acordo com o Ministério da Saúde, é considerado uso abusivo de álcool quatro ou mais doses entre as mulheres e cinco ou mais doses entre os homens em uma mesma ocasião nos último 30 dias. A OMS (Organização Mundial de Saúde) afirma que uma pessoa morre a cada dez segundos por 200 causas relacionadas ao álcool. Em todo o mundo, o total chega a 3,5 milhões de vítimas fatais. Somente em 2017, no Brasil, ocorreram mais de 72 mil mortes. Os brasileiros também estão acima da média mundial de consumo por pessoa, que é de 6,4 litros anuais. Aqui, chega a 7,8. 

Com todos os dados alarmantes e as situações de embriaguez comuns nessa época do ano, maneirar na bebida alcoólica é a melhor saída para evitar problemas com a saúde e a sociedade, e aproveitar o melhor que as férias podem oferecer. A ingestão de água, entre um drink e outro, com o intuito de hidratar o corpo, também é recomendada.