Natal, ano novo, comemorações

03 Jan 2020 - 14h00Por Leoní Cimardi

Tudo muito bem, tudo muito bom, mas passadas as comemorações típicas da época, é necessário retomar a disciplina, afinal, enquanto você escolhe prolongar a época de feriados e descansar, tem alguém estudando para disputar a mesma vaga que você deseja naquele concurso público. E por falar em concursos, lá naquela parte do edital que fala dos conteúdos que serão cobrados em Língua Portuguesa, a palavra “MORFOLOGIA” está sempre presente. Do que se trata?

Morfologia é o estudo da estrutura, da formação e da classificação das palavras. A peculiaridade da morfologia é estudar as palavras olhando para elas isoladamente e não dentro da sua participação na frase ou período. A morfologia está agrupada em dez classes, denominadas classes de palavras ou classes gramaticais. São elas: Substantivo, Artigo, Adjetivo, Numeral, Pronome, Verbo, Advérbio, Preposição, Conjunção e Interjeição. Também faz parte dos estudos de morfologia, o estudo da estrutura e formação das palavras. Abaixo, daremos as primeiras pistas desse estudo para que você saiba do que se trata, porém, quem está se preparando para prestar concursos, precisa aprofundar a pesquisa.

Estudar a estrutura das palavras é conhecer os elementos formadores das palavras para compreendemos melhor o significado de cada uma delas. Para isso, precisamos identificar os Morfemas, que são as unidades mínimas de caráter significativo. Veja:

cachorr - elemento base da palavra, pois contém o significado.

inh - indica que a palavra é um diminutivo

a - indica que a palavra é feminina

s - indica que a palavra se encontra no plural

Obs.: existem palavras que não comportam divisão em unidades menores, tais como: mar, sol, lua, etc.

São elementos mórficos, ou seja, morfemas:

1) Raiz, radical, tema: elementos básicos e significativos

2) Afixos (prefixos, sufixos), desinência, vogal temática: elementos modificadores da significação dos primeiros

3) Vogal de ligação, consoante de ligação: elementos de ligação ou eufônicos.

 

Quanto a formação das palavras, existem dois processos básicos pelos quais se formam as palavras: a derivação e a composição.

A DERIVAÇÃO é o processo pelo qual se obtém uma palavra nova, chamada derivada, a partir de outra já existente, chamada primitiva.

·MAR (primitiva)      / marítimo, marinheiro, marujo (palavras derivadas)

·TERRA (primitiva) / enterrar, terreiro, aterrar (palavras derivadas)

Observamos que "mar" e "terra" não se formam de nenhuma outra palavra, mas, ao contrário, possibilitam a formação de outras, por meio do acréscimo de um sufixo ou prefixo. 

A derivação prefixal resulta do acréscimo de prefixo à palavra primitiva, que tem o seu significado alterado. Veja:

Já a derivação Sufixal resulta de acréscimo de sufixo à palavra primitiva, que pode sofrer alteração de significado ou mudança de classe gramatical. Veja:

No exemplo acima, o sufixo -ção  transforma em substantivo o verbo alfabetizar. Este, por sua vez, já é derivado do substantivo alfabeto pelo acréscimo do sufixo -izar.

A derivação prefixal e sufixal ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo não simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. Veja:

Palavra Inicial

Prefixo

Radical

Sufixo

Palavra Formada

Leal

des

leal

dade

deslealdade

Note que em nossa língua existem as palavras "desleal", "lealdade" e "deslealdade".

Já a derivação parassintética ocorre quando a palavra derivada resulta do acréscimo simultâneo de prefixo e sufixo à palavra primitiva. Veja:

Palavra Inicial

Prefixo

Radical

Sufixo

Palavra Formada

mudo

E

mud

ecer

emudecer

 

Dica: para estabelecer a diferença entre derivação prefixal e sufixal e parassintética, basta retirar o prefixo ou sufixo da palavra na qual se tem dúvida. Feito isso, observe se a palavra que sobrou existe; caso isso aconteça, será derivação prefixal e sufixal. Caso contrário, será derivação parassintética.

 

Além do processo de formação de palavras por derivação, também temos a COMPOSIÇÃO, que é o processo que forma palavras compostas a partir da junção de dois ou mais radicais por justaposição ou aglutinação. Veja:

No processo de composição por justaposição, ao juntarmos duas ou mais palavras ou radicais, não ocorre alteração fonética.

Já no processo de composição por aglutinação, ao unirmos dois ou mais vocábulos ou radicais, ocorre supressão de um ou mais de seus elementos fonéticos. Veja:

embora (em boa hora)   /   hidrelétrico (hidro + elétrico)   /   planalto (plano alto)

Obs.: ao aglutinarem-se, os componentes subordinam-se a um só acento tônico, o do último componente.

Mande suas dúvidas. 

Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!