quarta, 16 de janeiro de 2019 - 09h56
(47) 3271-1010Central (47) 3372-1010Ao Vivo

Na teoria tudo é lindo

Quando a gente pensa em ser mãe enxergamos a admiração que as pessoas têm por pessoas grávidas, olhares calorosos e acolhedores. As pessoas gostam de conversar e saber a respeito do bebê que você carrega no ventre.

09 Jan 2019 - 07h30Por Karin Petermann

Quando a gente pensa em ser mãe enxergamos a admiração que as pessoas têm por pessoas grávidas, olhares calorosos e acolhedores. As pessoas gostam de conversar e saber a respeito do bebê que você carrega no ventre.

Imaginamos que ser mãe é algo incrível e espetacular. Sonhamos com o dia que iremos conhecer aquele ser responsável por 99% dos nossos pensamentos e anseios.

Quando nos falam sobre os choros, cólicas e as noites mal dormidas, pensamos que é tudo exagero e que com nosso filho vai ser diferente.

Informamos a todos que as visitas passarão álcool em gel e que somente depois do primeiro mês de vida serão recebidas. Além disso, afirmamos que nossos filhos não usarão bico, nascerão de parto normal humanizado e que certamente o aleitamento materno vai fluir como o Rio Amazonas. 

Ao preparar o quarto do bebê, acreditamos piamente que ele irá saber dormir no seu cantinho, que foi pensado com todo amor e carinho. O bebê nasce e o castelo de cartas começa a desmoronar.

Nos apegamos às teorias que encontramos pela frente, recorremos a Encantadora de Bebês e até fazemos promessas pedindo uma boa noite de sono. Resistimos a cama compartilhada até que finalmente cedemos. Percebemos que a ideia do bico não é lá tão ruim, visto que já tem vários bicos que são anatômicos e mais apropriados para sente falta. Seja para limpar, organizar, conversar ou até mesmo.o para segurar o bebê, enquanto você toma um banho decente.

Na teoria tudo é lindo e incrível. Ser mãe é algo extraordinário e que muda completamente os seus dias. É algo que você vai carregar com você por toda vida. Vai ver seus filhos casados e pensar que eles ainda são bebês e estão mal agasalhados.

Vai se dar conta que o tempo passou o injustamente muito rápido e que você nem teve tempo de curtir as noites mal dormidas e que gostaria de ter amamentando por um pouco mais de tempo. Que colocar o bebê, aos 4 meses na creche foi um decisão sustentável para a época, e que realmente o dinheiro era importante para proporcionar muitas coisas, mas hoje, tudo que você gostaria é de voltar ao tempo e curtir um pouco mais aquele cheirinho de bebê. 
Afinal, a teoria é teoria. Mas na prática da maternidade não existe uma matemática exata sobre como agir e como se sentir… fazemos tudo que podemos fazer, da melhor maneira que podemos fazer. Isso nos torna simplesmente mães!