Infância sem frescuras

A infância de várias gerações foi marcada por brincadeiras no quintal, ruas, parques e praças

05 Jun 2019 - 07h00Por Karin Petermann

Hoje é dia Mundial do Meio Ambiente e isso me faz pensar sobre como as crianças de hoje já não brincam tanto em meio a natureza quanto costumavam. A infância de várias gerações foi marcada por brincadeiras no quintal, ruas, parques e praças. De pés descalços, essas pequenas aventuras permitiam o contato com a natureza e a postura contemplativa e observativa.

Há diversos benefícios quando a criança cresce usufruindo do meio ambiente que a cerca, tais como melhorar a sua capacidade de atenção, concentração e observação. Para gerar esse aprimoramento da visão de mundo, ela precisará desacelerar, o que por si só já é um grande desafio para a sociedade moderna. Dessa forma, ela ainda vai adquirir consciência da importância da conservação e uso sustentável dos recursos naturais.

Parece tudo muito bonito no papel mas, na verdade, é preciso que nós, pais, estejamos dispostos a expor as crianças na natureza e sem frescuras. Esses dias, fomos passear no sítio de um dos primos do meu marido e a minha filha pediu para levar o chinelo. Falei para ela que esse não seria necessário e que, se quisesse tirar o tênis para brincar descalço, ela poderia. O resumo da brincadeira foi de que os dois tiveram que tomar banho antes de voltarmos para Jaraguá, pois ambos estavam cheios de lama porque depois de passar a tarde toda descalços.

Viemos da natureza e voltaremos para ela. Dizem que quando acontece de darmos choque nas pessoas e em objetos, é porque precisamos descarregar as energias, e isso só é possível quando andamos descalço na grama ou no barro. Da mesma forma, as crianças precisam gastar suas energias, brincando, pulando e curtindo a natureza. Sem frescuras, tanto da nossa parte, quanto delas.

Entendo que nem sempre temos a oportunidade de estar no sítio, mas nossa cidade é abençoada por contar com tantas áreas de lazer externo como a pracinha atrás do Museu, onde ainda tem areia. Existe também o Parque da Malwee, em que podemos fazer um baita piquenique e deixar as crianças brincar livremente, permitir que eles explorem a natureza, encontrem flores diferentes e até observem a família das capivaras.

Outra ideia, ainda, é fazer uma mini horta em casa mesmo, onde as crianças têm a oportunidade de plantar e colher seu próprio alimento, ainda que sejam alimentos pequenos como salsinha e cebolinhas. Vocês também podem aprender a fazer papel reciclado e criar uma obra de arte para a sala de estar.

Junto da escola, somos responsáveis por proporcionar diferentes momentos de aprendizado em casa. No ambiente escolar, podem adquirir ideias formidáveis e trazer para o lar, como a conscientização do armazenamento do lixo e receitas saudáveis para fazer em casa com alimentos que talvez fossem desperdiçados, como a casca da laranja que pode render um delicioso chá nesse inverno!