Herpes genital: atenção redobrada!

Quando se pensa em herpes, geralmente, já se associa à feridas na face, boca e lábios. Contudo, esse é apenas um dos tipos do vírus, sendo mais simples. A herpes genital é mais incômoda e provoca coceira, feridas, bolhas e até mesmo úlceras.

23 Jan 2020 - 15h30Por Lucas Galdino

Ao contrário da doença que se manifesta na região da face, o vírus com lesões na genitália é mais invasivo e requer cuidados

Quando se pensa em herpes, geralmente, já se associa à feridas na face, boca e lábios. Contudo, esse é apenas um dos tipos do vírus, sendo mais simples. A herpes genital é mais incômoda e provoca coceira, feridas, bolhas e até mesmo úlceras. 

A transmissão ocorre por relação sexual sem proteção ou contato com a pele de uma pessoa infectada, que tem lesões visíveis, bolhas ou erupções. Existe ainda a possibilidade de contagio com alguém sem ferimento aparente e que, talvez, nem saiba que está contaminado. Ou seja, todo cuidado é pouco!

As crises de herpes são um transtorno a parte e fatores como, exposição excessiva ao sol, fadiga, alterações hormonais (mulheres em período menstrual), uso de corticoides e traumas na região genital potencializam os episódios. 

Para se precaver, é ideal o uso de preservativo nas relações sexuais e evitar múltiplos parceiros. Assim como, se possuir herpes, abrir o jogo com o parceiro. Evitar tocar nas lesões é muito importante, já que carregam grande quantidade de vírus, se for necessário, a orientação é lavar as mãos imediatamente com água e sabão. 

Mas, se você é uma das pessoas que já convive com o vírus sabe, que apesar de não ter cura, as crises podem ser controladas. Procure ajuda médica ao primeiro sinal!