Férias? Sim! Teremos mais tempo para estudar!

20 Dez 2019 - 09h00Por Leoní Cimardi

Coincidentemente, esta é a Coluna “Entre Pontos” de número 24, justamente na última semana antes de 24 de dezembro, quando os cristãos comemoram o nascimento de Cristo, Natal. Porém, para os “concurseiros” de plantão, nem a aproximação dos feriados poderá servir de pretexto para interromper os estudos. Sendo assim, tentando colaborar, vamos avançar nos conteúdos relacionados ao Edital 001/2019 que trata do Concurso Público destinado à contratação de pessoal para o preenchimento das vagas existentes no quadro efetivo do Município de Jaraguá do Sul, cujas inscrições vão até o dia 13 de janeiro/2020 com provas previstas para início de fevereiro, conforme divulgado nesta semana.

VARIAÇÕES LINGUÍSTICAS

Apesar de falarmos a mesma língua e a essência dessa ser sempre a mesma, não podemos negar que o Português tem algumas variações que acontecem por diversas razões, entre elas, variações regionais, históricas, socioculturais ou contextuais. Antes de mais nada, precisamos entender que no Brasil há uma unidade linguística, isto é, apesar de suas variações, a Língua Portuguesa é uma só. As variedades linguísticas nada mais são do que modos de expressão da língua dentro de um código geral, sendo que contamos com diferentes variações.

1. Variação geográfica ou diatópica

Está relacionada com o local em que é desenvolvida, tal como as variações entre o português do Brasil e de Portugal.

Veja:

PORTUGUÊS NO BRASIL PORTUGUÊS EM PORTUGAL

Celular Telemóvel

Ônibus Autocarro

Trem Comboio

 

Em cada lugar do Brasil temos diferentes manifestações da Língua Portuguesa que são consideradas como regionalismos. Essas manifestações se dão pelo desenvolvimento da cultura local, gerando falares específicos e sotaques que afetam a oralidade do discurso. Alguns também se referem a essa variedade como “dialetos regionais”. Exemplo disso é a palavra “mandioca”, que em alguns lugares é conhecida por “aipim” e em outros por “macaxeira”.

2. Variação histórica ou diacrônica

Ela ocorre com o desenvolvimento da história, tal como o português medieval e o atual. A língua é um elemento vivo e dinâmico, por isso é esperado que ela mude ao longo do tempo. Os textos de uma época traduzem a ideia e elementos daquele tempo, mas também revelam a história da própria língua.

"Elípticos", "pega-la-emos" são formas que caíram em desuso

3. Variação social ou diastrática

Em um mesmo espaço geográfico dentro de uma mesma época, também encontramos variedades linguísticas. Isso se dá devido a presença de diversos grupos sociais e/ou culturais. Jovens, funkeiros, surfistas são exemplos de coletivos que usam palavras bem restritas à sua comunidade, sendo que há quem se refira a essas variações chamando-as de “socioletos”. Também determinadas categorias profissionais utilizam termos específicos, como os médicos, por exemplo.

4. Variação situacional ou diafásica

Um falante pode utilizar diferentes variedades em um mesmo dia, de acordo com o contexto. Em casa com a sua família, você utiliza a língua informal e mais afetiva. Em uma reunião de trabalho, você acaba sendo mais formal. Em uma apresentação, você utilizará uma linguagem mais rebuscada. Em um bar, você vai utilizar uma linguagem informal com gírias e vocabulares propícios para o local.

Linguagem Formal e Informal

Quanto aos níveis da fala, podemos considerar dois padrões de linguagem: a linguagem formal e informal. Certamente, quando falamos com pessoas próximas utilizamos a linguagem dita coloquial, ou seja, aquela espontânea, dinâmica e despretensiosa. No entanto, de acordo com o contexto no qual estamos inseridos, devemos seguir as regras e normas impostas pela gramática, seja para a elaboração de um texto escrito ou oral. De um modo geral, podemos observar que as variações linguísticas são expressas mais frequentemente nos discursos orais. Quando produzimos um texto escrito, independente de qual seja o lugar do Brasil, seguimos as regras do mesmo idioma: a Língua Portuguesa.

Preconceito Linguístico

O preconceito linguístico está intimamente relacionado com as variações linguísticas, sendo que o modo de empregar a Língua Portuguesa reflete um aspecto

cultural da vida na sociedade brasileira, portanto, não se deve de maneira alguma julgá-la de forma preconceituosa. As variedades linguísticas não retratam o empobrecimento do idioma, mas reafirmam seu dinamismo e diversidade.

Mande suas dúvidas.

Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!