Cirurgias minimamente invasivas: saiba mais!

Com pequenas incisões na pele e com o auxílio de uma câmera que aumenta a imagem em até 20 vezes, associado a pequenas pinças, o cirurgião é capaz de realizar procedimentos de grande porte sem a necessidade de grandes incisões

16 Mai 2019 - 07h00Por Raphael Lahr

A medicina foi uma das áreas que se beneficiou com o avanço tecnológico ocorrido nas últimas décadas. Com a melhoria na qualidade e na diminuição do tamanho dos instrumentais, foi possível alterar os procedimentos cirúrgicos que, até então, eram feitos com grandes incisões para aqueles minimamente invasivos.

Com pequenas incisões na pele e com o auxílio de uma câmera que aumenta a imagem em até 20 vezes, associado a pequenas pinças, o cirurgião é capaz de realizar procedimentos de grande porte sem a necessidade de grandes incisões. O resultado dos procedimentos minimamente invasivos são os mesmos daqueles com grandes incisões. Além disso, há um ganho enorme no que se refere a dor pós-operatória, que é menor, retorno precoce às atividades laborais, menor sangramento e tempo de internamento e um melhor resultado estético.

Em determinados procedimentos urológicos, é possível realizar o tratamento sem a necessidade de incisões (cortes), por meio da instrumentação a partir da uretra (canal do xixi). O ganho dos pacientes com esse avanço tecnológico é enorme, não sendo necessário nenhum corte no abdome, como se fazia há alguns anos.

O que há de mais moderno hoje em dia são as cirurgias robóticas. Com o auxílio de braços mecânicos que diminuem os tremores naturais, possibilitam movimentos mais amplos que os nossos próprios punhos e com a utilização de equipamentos que auxiliam no intraoperatório (ultrassom intraoperatório, por exemplo) houve um ganho ainda maior para os pacientes. 

É preciso um constante treinamento para podermos acompanhar esses avanços tecnológicos de hoje em dia. A equipe da Urocentro procura estar sempre a frente para oferecer o que há de melhor aos pacientes de Jaraguá do Sul e região.