Cirurgia íntima vem ganhando destaque no país

O objetivo é proporcionar bem-estar e restabelecer a autoestima feminina

05 Jun 2019 - 07h00Por Josinaldo Martins

Engana-se quem pensa que as brasileiras são as campeãs da cirurgia de aumento de seios no mundo. A reconstrução ou correção da região íntima se tornou a queridinha entre as mulheres do Brasil. De acordo com o relatório global da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica, só em 2017, 22 mil mulheres realizaram o procedimento.

Entre os diversos tipo de cirurgia para a região da vulva, a ninfloplastia ou labioplastia conquistou o título de plástica mais procurada. Ela consiste na redução da pele e tecido dos pequenos lábios vaginais.

Durante a puberdade, as mulheres podem ter um desenvolvimento anormal dos pequenos lábios vaginais, adquirindo tamanho desproporcional. Ao se tornarem maiores que os grandes lábios, tendem a ficarem expostos. O constrangimento das mulheres ocorre ao colocar uma calça mais justa, pois o aspecto é o de pele sobrando e flacidez.

Além do desconforto estético pelo tamanho excessivo, o problema pode dificultar a higiene e a ventilação do local, provocando também incômodo e dor durante as relações sexuais. A cirurgia visa eliminar o desconforto gerado pelo tamanho excessivo e remodela a região, o que resulta em um aspecto natural.

A operação dura cerca de uma hora e a paciente pode ir para casa no mesmo dia. No pós-operatório devem ser evitados banhos muito quentes e roupas apertadas. A relação sexual é liberada somente após um mês da realização do procedimento.