Acordo Ortográfico da LP (2016)

O último acordo ortográfico começou a ser discutido em 1990 visando unificar as regras do idioma, mas só entrou efetivamente em vigor em 1º de janeiro de 2016

02 Ago 2019 - 07h00Por Leoní Cimardi

Sim, todos sabemos que no Brasil falamos a Língua Portuguesa por “herança cultural” de Portugal. Mas quais são os outros países que falam o nosso idioma?

Atendendo a pedidos, hoje vamos falar sobre o último Acordo Ortográfico.

Veja a lista de estados soberanos e territórios onde a Língua Portuguesa é um idioma oficial:

País

População (est.2019)

Brasil

211.994,695

Moçambique

31.117,272

Angola

31.787,566

Portugal

10.264,164

Guiné-Bissau

1.941,521

Timor-Leste

1.344,944

Guiné Equatorial

1.347,90

Macau

639,558

Cabo Verde

558,514

São Tomé e Príncipe

212,182

Total

289.860,416

Assim como no Brasil, em cada um desses países o Português tem lá suas peculiaridades, mas junto conosco, fazem parte da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, com sede em Lisboa, Portugal. A CPLP é uma organização internacional formada por países lusófonos, cujo objetivo é o "aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre os seus membros". O último acordo ortográfico começou a ser discutido em 1990 visando unificar as regras do idioma, mas só entrou efetivamente em vigor em 1º de janeiro de 2016. O fator econômico foi determinante, pois a padronização facilita questões comerciais entre os países, mas a integração cultural também é de suma relevância.

Uma das mudanças da Língua Portuguesa usada no Brasil é que o nosso alfabeto ganhou mais três letras, o K, o W e o Y, passando de 23 para 26 no total. Vale dizer, no entanto, que nada muda na pronúncia das palavras, pois a última reforma só diz respeito à ortografia (escrita) e não atinge todos os países da mesma maneira. No Brasil, por exemplo, que tem hoje mais de 73% dos falantes do idioma no mundo, apenas duas mil palavras sofreram alterações, ou seja, 0,5% do total. Já em Portugal cerca de dez mil termos mudaram—1,5%. Lá, "óptimo" e "acção" passaram a ser grafados como por aqui ("ótimo" e "ação"), aproximando-se da linguagem oral comum no nosso país.

A cada semana, falaremos sobre algum item da Reforma, começando por “acentuação”.

ACENTO AGUDO

- Deixa de existir nos ditongos (encontro de duas vogais em uma só sílaba) abertos "ei" e "oi" das palavras paroxítonas (que têm a penúltima sílaba pronunciada com mais intensidade).

heróico heroico       assembléia assembleia

Observação: as oxítonas (com acento na última sílaba) e os monossílabos tônicos terminados em "éi", "éu" e "ói", no singular e plural (anéis, chapéu e herói) continuam com acento.

- Desaparece nas paroxítonas com "i" e "u" tônicos que formam hiato (sequência de duas vogais que pertencem a sílabas diferentes) com a vogal anterior, que, por sua vez, faz parte de um ditongo.

feiúra feiura

Observação: as vogais "i" e "u" continuam a ser acentuadas se formarem hiato, mas estiverem sozinhas na sílaba ou seguidas de "s" (baú e baús) ou, em oxítonas, se forem precedidas de ditongo e estiverem no fim da palavra (tuiuiú).

Dica de ortografia da semana:

Uso do h

O h é utilizado nas seguintes situações:

Exceção: A palavra Bahia quando se refere ao estado é uma exceção. O acidente geográfico "baía" é grafado sem h.

Mande suas dúvidas. Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!