ACORDO ORTOGRÁFICO DA LP (2016) – Parte II

Mais recentemente, tivemos que nos adaptar ao Novo Acordo Ortográfico que começou a ser discutido em 1990 pelos países de Língua Portuguesa

09 Ago 2019 - 07h00Por Leoní Cimardi

Você sabia?

O Brasil passou por uma Reforma Ortográfica em 1911, um Formulário Ortográfico em 1943 e uma Reforma Ortográfica em 1971. Mais recentemente, tivemos que nos adaptar ao Novo Acordo Ortográfico que começou a ser discutido em 1990 pelos países de Língua Portuguesa. Nosso país só assinou este Acordo em 2009, vivendo uma fase de transição até 2016, quando as mudanças passaram a ser obrigatórias.

Nesta coluna, já mostramos algumas mudanças ocorridas na LP quanto a acentuação. Vamos relembrar:

Ditongos: os ditongos abertos “éi” e “ói”, quando estão em paroxítonas, não terão mais o acento agudo. Exemplo: heroico, plateia, ideia, Coreia, assembleia.

Também falamos sobre a perda do acento agudo no u e i tônicos nos hiatos formados com ditongo decrescente (vogal + semivogal). Exemplos: feiura, Bocaiuva.

Ainda sobre acentuação, faltou dizer:

 

Mas cuidado!

Há três casos de acento diferencial que são exceções:

 

 

 

Ele tem tarefas a cumprir. - Eles têm tarefas a cumprir.

Ainda sobre acentuação, vale ressaltar que os substantivos próprios (nomes de pessoa, empresas...) não necessariamente submetem-se às regras ortográficos, pois vale a ortografia que consta no documento oficial (certidão de nascimento, etc).

Dica de ortografia da semana:

Uso do s/z

O s é utilizado nas seguintes situações:

O z, por sua vez, é utilizado nas seguintes situações:

Mande suas dúvidas. Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!