Unimed

Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiotico!

Não! Essa palavra não é um carnaval de letras desconexas.

21 Fev 2020 - 11h29Por Leoní Cimardi

Não! Essa palavra não é um carnaval de letras desconexas.

Nesse contexto, a palavra “carnaval” foi usada como sinônimo da palavra “confusão”, mas apesar da possibilidade desse uso, nesta época do ano a mesma palavra significa bem outra coisa.

Ah! O carnaval…

Ok! Jaraguá do Sul e região não tem, atualmente, eventos significativos voltados às comemorações do carnaval, mas a palavra “carnaval” está na boca do povo: quando uns lamentam a falta da festa na região, quando outros criticam a existência dessa festa no país, quando uns se alegram porque terão folga do trabalho ou estudos por conta do carnaval e quando ainda uns outros lamentam porque não terão a tal folga…

Mas o que é o carnaval?

A palavra “carnaval” vem do latim medieval: carnelevāre ou carnileāria. É o nome dado ao período anual de festas profanas, originadas na Antiguidade e recuperadas pelo cristianismo, e que começava no dia de Reis (Epifania) e acabava na Quarta-Feira de Cinzas, às vésperas da Quaresma. Carnaval são festejos populares provenientes de ritos e costumes pagãos e que se caracterizam pela liberdade de expressão e movimento. Uma festa controversa, alegre, atualmente perigosa em outros aspectos, mas sempre curiosa!

E por falar em “curiosa”, a coluna desta semana trará algumas outras curiosidades relacionadas ao nosso idioma, nossa bela Língua Portuguesa.

Você sabia?

· A maior palavra: a maior palavra registrada da Língua Portuguesa é Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiotico, pessoas que sofre da doença Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose. São 46 letras.

· Qualquer e quaisquer: o plural de qualquer é quaisquer. O interessante é que nenhuma outra palavra da língua portuguesa tem a indicação de plural no interior, o comum é sempre no final.

· Porcentagem ou percentagem? As duas palavras refletem a mesma ideia: proporção de uma quantidade calculada sobre 100. Percentagem é uma adaptação do termo percentage, de origem inglesa. De acordo com o dicionário Houaiss, o termo foi adotado na Língua Portuguesa no século XIX. E porcentagem é um abrasileiramento a partir da locução por cento.

· Maçã e maçaneta: a palavra maçaneta (aquela das portas) é um diminutivo de maçã, a fruta. O motivo? A origem desta palavra é que, muitos anos atrás, a aparência da maçaneta era de uma pequena fruta.

· Biscoito ou bolacha? Para os cariocas, biscoito. Para os paulistanos, bolacha. Na verdade, as duas palavras estão corretas e são equivalentes. Mas o biscoito leva vantagem por ingressar primeiro na Língua Portuguesa.

· Todo país e todo o país: uma única letra na Língua Portuguesa faz toda a diferença. Neste caso, por exemplo, “todo país” significa em qualquer país. Se a intenção for se referir ao país inteiro, usa-se “todo o país”, com a letra “o”.

· Palavras esquisitas e poucos conhecidas. A Língua Portuguesa conta com centenas de palavras estranhas e que são pouco usuais. Por exemplo, tebas é um indivíduo importante, que tem destreza, esperto; remocar é o mesmo que censurar; e iterar é tornar a fazer ou dizer algo.

· Falando grego e chinês? É comum os brasileiros recorrem à expressão “está falando grego” para deixar claro que não estão entendendo algo. Já os gregos, quando estão na mesma situação, dizem “está falando chinês”.

Mande suas dúvidas.

Entre um ponto e outro, tentaremos esclarecer a todos!