Caraguá
STF

STF reafirma prazo de 5 anos para empregado cobrar parcelas do FGTS não pagas

17 Mar 2017 - 11h18
STF reafirma prazo de 5 anos para empregado cobrar parcelas do FGTS não pagas -
O Supremo Tribunal Federal (STF) reafirmou hoje (16) que o trabalhador tem cinco anos para cobrar na Justiça os valores não depositados no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). Antes da decisão, o prazo para entrar com ação era 30 anos. A Corte reiterou entendimento firmado em 2014 durante o julgamento de um caso semelhante.

Os ministros entenderam que o prazo para o trabalhador reclamar as parcelas não recebidas deve ser igual ao dos demais direitos trabalhistas, que é cinco anos. No entanto, a decisão só poderá ser aplicada em novos casos sobre o assunto.

O plenário acompanhou voto do relator, ministro Gilmar Mendes, proferido em 2014. Segundo o ministro, a Lei 8.036/1990, que regulamentou o FGTS e garantiu o prazo prescricional de 30 anos é inconstitucional por violar o Artigo 7º da Constituição Federal. De acordo com o texto, os créditos resultantes das relações de trabalho têm prazo prescricional de cinco anos.

 

Agência Brasil

Matérias Relacionadas

Saúde

Covi-19: Ministro anuncia dose de reforço para profissionais de saúde

Aplicação extra ocorrerá a partir de seis meses da imunização completa
Covi-19: Ministro anuncia dose de reforço para profissionais de saúde
Geral

Gustavo Bardim participa da final do The Voice Kids neste domingo

Cantor guaramirense precisa do apoio da população, já que, o grande vencedor do reality show será decidido pelo público, através de votação pelo site GShow
Gustavo Bardim participa da final do The Voice Kids neste domingo
Esportes

CBF divulga tabela detalhada das semifinais da Copa do Brasil

Partidas de ida serão no dia 20 de outubro e volta ocorre no dia 27
Política

[Vídeo] Renan Calheiros e Jorginho Mello batem boca e trocam xingamentos na CPI

Senadores discutiram após relator da CPI afirmar que população tem a percepção de que governo Bolsonaro é corrupto
[Vídeo] Renan Calheiros e Jorginho Mello batem boca e trocam xingamentos na CPI
Ver mais de Brasil