Premix Concreto
Futebol

São Paulo vence, respira e deixa Cruzeiro a 1 ponto da zona de rebaixamento

16 Set 2016 - 15h36
Já o Cruzeiro vive situação oposta ao do time do Morumbi. Com o segundo revés consecutivo, a equipe de Mano Menezes volta a se preocupar com o rebaixamento. Depois de 25 rodadas, os mineiros somam 29 pontos, um a mais do que o Figueirense, primeiro time na zona da degola.

Na próxima rodada, o Cruzeiro enfrenta o Atlético-MG, no domingo (18). No mesmo dia, o São Paulo vai Curitiba para encarar o Atlético-PR.

Wesley: de agredido a herói

Na invasão ao CT da Barra Funda, Wesley foi um dos alvos da torcida são-paulina. Junto com Michel Bastos e Carlinhos, ele foi um dos agredidos durante a confusão. Duas semanas depois, o meia se coloca em outra posição: a de herói.

Em um momento em que o São Paulo já não tinha mais o comando da partida, o camisa 11 foi fundamental. Após receber passe de Cueva, Wesley avançou e soltou a bomba de fora da área, superando o goleiro Rafael.

Manoel perde a cabeça, mas Rafael salva o Cruzeiro

 

 

 

No momento em que o Cruzeiro estava melhor na partida, um lance quase decretou a vitória do São Paulo. Aos 41 minutos, Manoel, em lance sem bola, agrediu Chavez com um soco dentro da área e entregou um pênalti para o time paulista. Na cobrança, porém, o argentino chutou fraco e facilitou a defesa do goleiro Rafael.

São Paulo mostra evolução

A atuação do São Paulo diante do Cruzeiro mostrou uma evolução em relação ao futebol apresentado pela equipe de Ricardo Gomes no Campeonato Brasileiro. Trocando mais passes e firme na marcação, o time paulista sufocou o Cruzeiro no início do jogo e quase abriu o placar em três oportunidades. Na mais clara, aos 21 minutos do primeiro tempo, Rodrigo Caio carimbou o travessão de Rafael.

Cruzeiro sente a falta de uma referência

Sem contar com Ábila, suspenso, o Cruzeiro mostrou dificuldade para jogar sem um atacante de referência no primeiro tempo. Nos 45 minutos iniciais, a equipe mineira não conseguiu incomodar o goleiro Denis. "Precisamos mudar a postura. Só estamos nos desfazendo da bola. Eu e o Willian não vamos conseguir ganhar no alto, tem que colocar a bola no chão", reclamou Robinho, ao "Premeire", no intervalo.

E a mudança de postura veio no segundo tempo. Mesmo sem fazer alterações, Mano Menezes mexeu no jeito de jogar do time mineiro. O treinador decidiu recuar Robinho e deixar apenas Rafael Sóbis e Willian no ataque. As mudanças fizeram com que o Cruzeiro dominasse o meio-campo e passasse a controlar a partida. O gol, no entanto, não veio.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 1 X 0 CRUZEIRO

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 15 de setembro de 2016, quinta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Público: 15.566 pessoas
Renda: R$ 361.885,00
Árbitro: Diego Almeida Real (RS-ASP-FIFA)
Assistentes: Alexandre A. Pruinelli Kleiniche (RS-CBF-1) e Jose Eduardo Calza (RS-CBF-1)
Cartão vermelho: Manoel, pelo Cruzeiro
Gol: Wesley (42'/1ºT), para o São Paulo

SÃO PAULO: Denis; Julio Buffarini, Maicon, Rodrigo Caio e Mena; Hudson (João Schimidt), Thiago Mendes, Wesley e Cueva (Carlinhos); Kelvin (Luiz Araújo) e Andres Chavez. Técnico: Ricardo Gomes

CRUZEIRO: Rafael; Lucas (Ezequiel), Bruno Rodrigo, Manoel e Edimar; Henrique, Lucas Romero, Robinho e Rafinha (Marcos Vinicius); Rafael Sobis (Alisson) e Willian. Técnico: Mano Menezes

 

Matérias Relacionadas

Economia

Sicredi é destaque em 13 categorias do anuário Melhores & Maiores 2020

Instituição figura em posições relevantes do guia pelo nono ano consecutiv
Economia

Primeira parcela do 13º salário deve ser paga até hoje

Por causa da pandemia de covid-19, o décimo terceiro dos aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) foi antecipado
Primeira parcela do 13º salário deve ser paga até hoje
Eleições 2020

Barroso diz que abstenção de eleitores foi maior que o desejável

Abstenção dos eleitores no segundo turno foi de 29,50%
Barroso diz que abstenção de eleitores foi maior que o desejável
Economia

Santa Catarina gera mais de 32 mil empregos, melhor outubro da história

No acumulado do ano, Santa Catarina apresenta o melhor desempenho entre todos os estados, com um saldo de 35.210 carteiras assinadas.
Santa Catarina gera mais de 32 mil empregos, melhor outubro da história
Ver mais de Brasil