dengue
Eleições

Saiba quais são as propostas de Bolsonaro e de Haddad para a educação

23 Out 2018 - 14h00

Os candidatos à presidência da República Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) apresentam propostas distintas para o assunto.


Segundo o plano de governo de Bolsonaro, o intuito é dar um salto de qualidade na educação com ênfase na infantil, básica e técnica, sem doutrinar. Além disso, o candidato afirma que o conteúdo e método de ensino precisam ser mudados, invertendo a pirâmide. Ou seja, “o maior esforço tem que ocorrer cedo, com a educação infantil, fundamental e média”. De acordo com ele, “quanto antes nossas crianças aprenderem a gostar de estudar, maior será seu sucesso”.

No primeiro debate entre os candidatos à Presidência da República de 2018 da TV Band, Bolsonaro defendeu que as escolas militares seguem sendo exemplo de uma educação de qualidade.

“As escolas militarizadas - eu tive em uma delas - e ela foi construída em um local perto de uma comunidade muito pobre e violenta. Então, aqui a disciplina entrando na escola, o percentual dessa garotada que consegue acesso ao nível superior é muito acima das demais escolas públicas e particulares. Então, a hierarquia e disciplina, no meu entender, tem que se fazer presente, restabelecendo a autoridade, invertendo esta pirâmide de gastos, nós podemos atingir o objetivo final, que é dar uma educação de qualidade para a garotada do Brasil.”

O plano de governo de Bolsonaro diz também que a educação à distância deveria ser vista como um importante instrumento e não vetada de forma dogmática. Segundo o candidato, a educação à distância deve ser considerada como uma alternativa para as áreas rurais, pelo fato de ser mais difícil ir para as aulas presenciais.

Já o programa do candidato Fernando Haddad (PT) tem propostas mais claras no que se refere a educação. Em seu plano de governo está escrito que ele pretende reforçar a proibição legal para a educação a distância no ensino fundamental.

Outra proposta do presidenciável é ter uma forte atuação na formação dos educadores e na gestão pedagógica da educação básica, na reformulação do ensino médio e na expansão da educação integral. É o que explicou Haddad em um debate do G1, em conjunto com a rádio CBN.

“Nós precisamos corrigir o orçamento das federais. Com pouco dinheiro, a gente consegue concluir as obras faltantes. Dá para atender muito mais alunos nas federais, porque a infraestrutura está pronta. Mas nós temos que colocar a atenção no ensino médio. Nosso foco é melhorar as condições do ensino médio, que não reagiu aos estímulos criados.”


O plano de Haddad também prevê a criação de novo padrão de financiamento, visando progressivamente investir 10% do PIB em educação, conforme a meta 20 do Plano Nacional da Educação (PNE). No que se refere a educação infantil, na perspectiva da educação integral, Haddad pretende retomar intensamente a colaboração com municípios para ampliação com qualidade das vagas em creches, além de fortalecer as políticas voltadas para a pré-escola.

No ensino fundamental, o candidato quer realizar ajustes na Base Nacional Comum Curricular, em diálogo com a sociedade, para alinhá-las às Diretrizes Nacionais Curriculares e ao PNE.

Além disso, o plano de governo de Haddad pretende assegurar que todas as crianças apresentem as habilidades básicas de leitura, escrita e matemática, assim como os conhecimentos necessários no campo das ciências naturais e ciências humanas até os 8 anos ou até o final do 2º ano do Ensino Fundamental.

O segundo turno das eleições ocorre no próximo dia 28 de outubro em todo o Brasil e mais 99 países.

Reportagem, Cintia Moreira / Agência Rádio Mais 

Matérias Relacionadas

Geral

Número de mortes por enchentes no RS aumenta para 176

Corpo não identificado foi encontrado em Venâncio Aires
Número de mortes por enchentes no RS aumenta para 176
Segurança

(Vídeo) Dono de loja de celulares reage a assalto e deixa criminoso gravemente ferido

Imagens mostram o assaltante entrando na loja armado com uma pistola e anunciando o assalto.
(Vídeo) Dono de loja de celulares reage a assalto e deixa criminoso gravemente ferido
Geral

Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região

Segundo os dados, Corupá tem 37% dos imóveis sem identificação oficial
Pesquisa do IBGE mostra a falta de identificação de ruas e endereços na região
Geral

Tempo firme e seco dá lugar à instabilidade e chuva no fim de semana em SC

A partir da noite de sábado (15) volta a chover de forma persistente no norte gaúcho, devido a uma frente semi-estacionária que por alguns momentos se aproxima mais do estado catarinense
Tempo firme e seco dá lugar à instabilidade e chuva no fim de semana em SC
Ver mais de Brasil