Séculus
CNDL

Representantes do Varejo Nacional se unem contra a CPMF e a favor de trabalho intermitente

29 Out 2015 - 16h24

Na manhã desta quarta-feira (28), quatro representantes das maiores entidades brasileiras do comércio e serviços se reuniram no II Fórum Nacional de Comércio, em Brasília, para discutirem assuntos oportunos para o setor. A jornada  de trabalho intermitente e a CPMF foram os principais assuntos da rodada. Os participantes, Honório Pinheiro, presidente da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Fernando Yamada, presidente Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), José do Egito, presidente da Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores (ABAD) e Paulo Solmucci, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL), são integrantes da União Nacional de Entidades do Comércio e Serviços (UNECS), que conta ainda com a participação da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (ALSHOP), Confederação das Associações Comerciais e Empresarias do Brasil (CACB) e Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (Anamaco).


Logo no início do painel, os representantes presentes no evento comentaram a importância da regulamentação do trabalho intermitente no Congresso Nacional. "A jornada intermitente é uma jornada móvel. Com ela, haverá a possibilidade do empregado se adequar as demandas do empregador e vice-versa. Além disso, existe um enorme contingente de brasileiros, principalmente jovens e terceira idade, com o desejo e disponibilidade de trabalho em jornadas reduzidas e flexíveis", explicou Solmucci, presidente da ABRASEL.

O presidente da CNDL, Honório Pinheiro, também chamou a atenção sobre a necessidade de alterar os tipos de contratações já existentes. "A legislação trabalhista atual que permite apenas a contratação de mão de obra em jornadas fixas e de 44 horas semanais não atende a necessidade do setor. Nossa legislação é de 1942 e focada na indústria e não no setor de comércio e serviços, que hoje é um dos principais geradores de emprego do Brasil. Vamos lutar no Congresso pela normatização da jornada intermitente e demostrar a necessidade da utilização da jornada móvel e da jornada reduzida de trabalho", afirmou Pinheiro.

GNet

Matérias Relacionadas

Política

CPI conclui depoimentos e marca para hoje leitura de relatório

Previsão é que o texto seja votado na próxima terça-feira
CPI conclui depoimentos e marca para hoje leitura de relatório
Economia

Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 21 milhões

Próximo sorteio será na quinta-feira
Ninguém acerta a Mega-Sena e prêmio acumula em R$ 21 milhões
Esportes

CBF libera a presença da torcida visitante em jogos

Comprovante de vacinação e teste são exigências
CBF libera a presença da torcida visitante em jogos
Economia

Dólar aproxima-se de R$ 5,60 com possível criação de Auxílio Brasil

Bolsa caiu 3,28% e fechou no menor nível em 12 dias
Ver mais de Brasil