Caraguá
Senado

Plenário do Senado vai discutir amanhã impeachment de Dilma

08 Ago 2016 - 12h13
O plenário do Senado decide na terça-feira, 9, a partir das 9 horas, se dá andamento ao processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff. A expectativa é de que a sessão dure até 30 horas. Será comandada pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, que na última quinta-feira definiu, em reunião com líderes na Casa, 24 pontos que vão orientar a sessão de pronúncia.

O primeiro a falar será o relator Antonio Anastasia (PSDB-MG). Seu relatório foi aprovado na Comissão Especial do Impeachment por 14 votos a 5.

Em seguida, será aberta a fase de discussões, em que todos os 81 senadores podem falar, cada um por até dez minutos. Por último, acusação e defesa têm 30 minutos cada para se posicionar. A votação será por meio eletrônico. É necessária maioria simples dos presentes para aprovar o relatório.

Na Esplanada dos Ministérios deve ser montada uma grade para separar manifestantes pró e contra o impeachment. Segundo a Secretaria da Segurança Pública do Distrito Federal, haverá reforço no policiamento. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Matérias Relacionadas

Saúde

Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes

Sociedade Brasileira de Imunizações também defende vacinação
Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes
Economia

Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança

Banco reduziu parte fixa da parcela de 3,35% para 2,95% ao ano
Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança
Saúde

Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes

Ministério da Saúde suspendeu orientação para a vacinação
Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes
Saúde

Covid-19: ministro destaca eventos adversos em adolescentes vacinados

Queiroga explica revisão de recomendação sobre vacinas de covid-19
Covid-19: ministro destaca eventos adversos em adolescentes vacinados
Ver mais de Brasil