Cunha

Marquinho Mendes deve assumir vaga de Eduardo Cunha

13 Set 2016 - 12h21
Com a cassação do mandato de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) pelo plenário da Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (12), quem deverá tomar posse no seu lugar como titular será o suplente Marquinho Mendes (PMDB-RJ).

Segundo a Secretaria-Geral da Câmara, Mendes é o primeiro da lista de suplentes da coligação partidária da qual o PMDB fez parte nas últimas eleições.

Em seu primeiro mandato como deputado federal, ele já está como suplente na vaga de outro parlamentar licenciado e assumirá agora como titular.

A primeira vez que ele ocupou a vaga com suplente foi logo após o início da atual legislatura, no ano passado, quando assumiu a cadeira deixada pelo deputado Pedro Paulo (PMDB-RJ), que saiu para chefiar uma secretaria na Prefeitura do Rio de Janeiro.

Ele ficou na posição de 10 de fevereiro de 2015 a 14 de abril deste ano.

Dias depois, em 19 de abril ele assumiu outra vaga, também como suplente, agora no lugar do deputado Arolde de Oliveira (PSC-RJ), posição que ocupa atualmente.

Marquinho Mendes também é candidato à Prefeitura de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. A convocação dele para tomar posse como titular deverá ser feita após a publicação do aviso da cassação de Eduardo Cunha no Diário Oficial da Câmara.

 

As informações são do

Site G1

Matérias Relacionadas

Saúde

Anvisa autoriza testes para outra vacina contra covid-19

Medicamento será o segundo do tipo a ser testado no Brasil
Anvisa autoriza testes para outra vacina contra covid-19
Geral

Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 33 milhões

A quina teve 75 apostas vencedoras cada uma receberá R$ 36.939,97
Mega-Sena acumula e próximo sorteio deve pagar R$ 33 milhões
Economia

IBGE mostra 83,5 milhões de ocupados na segunda semana de junho

Resultado aponta estabilidade ante a semana anterior
IBGE mostra 83,5 milhões de ocupados na segunda semana de junho
Geral

Governo destinará R$ 500 milhões para proteger mata nativa da Amazônia

Programa Floresta+ começa com projeto-piloto no Norte do país
Governo destinará R$ 500 milhões para proteger mata nativa da Amazônia
Ver mais de Brasil