Imobiliária Coralli
Olimpíada

Maior campeã da história olímpica, Alemanha repete Londres e fatura ouro no remo

11 Ago 2016 - 15h47
Phillip Wende, Lauritz Schoof, Karl Shulze e Hans Gruhne completaram os dois quilômetros de prova na Lagoa Rodrigo de Freitas com um tempo de 6min06s81, à frente da Austrália, que ficou com a prata (6min07s96), e da Estônia, medalha de bronze (6min10s96).

A equipe alemã mantém a hegemonia na categoria do remo desde Londres 2012. Três dos quatro remadores que ganharam o ouro na capital britânica repetiram o feito hoje no Rio. A única novidade foi a entrada de Hans Gruhne no lugar de Tim Grohmann.

Na história, a Alemanha ainda é a maior campeã olímpica da modalidade. Com o ouro desta quinta e contando as medalhas da Alemanha Ocidental, os germânicos chegaram à sua 49ª, sendo a 34ª dourada - ainda foram sete de prata e oito de bronze.

A equipe da Austrália, formada por Karsten Forsterling, Alexander Belonogoff, Cameron Gildlestone e James McRae, melhorou sua posição em relação ao bronze em Londres, mas não repetiu a atuação de Pequim 2008, quando acabou com o ouro com direito a recorde olímpico.

Os estonianos Andrei Jamsa, Allar Racha, Tonu Endrekson e Kaspar Taimsoo ficaram com o bronze após terem sido campeões europeus neste ano. Em Londres, a equipe tinha ficado no quarto lugar.

Matérias Relacionadas

Esportes

Jaraguá e Tubarão empatam no clássico catarinense

Empate mantém a equipe do Tubarão na liderança do Grupo C, enquanto o Jaraguá sobe para o quinto lugar.
Jaraguá e Tubarão empatam no clássico catarinense
Educação

Correios e MEC preparam a entrega de 197 milhões de livros didáticos

Serão entregues 197 milhões de livros em municípios de todo o país
Correios e MEC preparam a entrega de 197 milhões de livros didáticos
Geral

Huawei avança em energia solar no Brasil e mira em baterias

A empresa é alvo de polêmicas relacionadas à tecnologia 5G
Huawei avança em energia solar no Brasil e mira em baterias
Economia

IBGE: número de desempregados chega a 13,5 milhões em setembro

Aumento foi de 4,3% no mês e de 33,1% desde maio, mostra pesquisa
IBGE: número de desempregados chega a 13,5 milhões em setembro
Ver mais de Brasil