Preços

Leite deve continuar caro nos próximos meses

20 Jul 2016 - 10h42
A alta de preços dos principais produtos que fazem parte da alimentação do brasileiro está surpreendendo muitos consumidores. Após a crise de abastecimento do feijão, cujo preço subiu 41,78% de maio a junho deste ano, segundo o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), agora é a vez do leite pesar no orçamento do brasileiro. No mês passado, o litro do leite longa vida ficou 10,16% mais caro, de acordo com o IPCA. Atualmente o produto é vendido por mais de R$ 4 reais no varejo.

Os motivos para o encarecimento do leite e de seus derivados estão no campo. As razões são basicamente o clima desfavorável e o aumento de custo da ração animal, que provocaram queda na oferta de leite. Com a crise econômica e a redução de poder de compra do consumidor, a demanda também deve ser pressionada. “Como o leite está muito caro, existe o movimento de consumidores comprando leite em pó, que tem um rendimento maior. O consumidor vai procurar alternativas para não pagar pelo leite longa vida”, diz Natália.

 

Leite brasileiro


A produção brasileira de leite recuou. Segundo o IBGE, no 1º trimestre de 2016 a aquisição de leite cru feita pelos laticínios foi de um total de 5,86 bilhões de litros. Esse número representa um recuo de 6,8% em relação ao quatro trimestre do ano passado e queda de 4,5% se comparado com o 1º trimestre de 2015.

Matérias Relacionadas

Economia

Reforma da Previdência é promulgada pelo Congresso

Economia

Bolsonaro assina medida provisória que extingue o Dpvat

Geral

Grupo Malwee é reconhecido como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil

O Grupo Malwee, uma das maiores empresas de moda do país, foi reconhecido pela segunda vez, como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil pelo Guia Exame de Sustentabilidade 2019.
Grupo Malwee é reconhecido como uma das empresas mais sustentáveis do Brasil
Educação

MEC levará internet a 24,5 mil escolas públicas

De acordo com a pasta, isso significa que 56% das escolas públicas passarão a estar conectadas no país. A medida deverá beneficiar 11,6 milhões de estudantes
MEC levará internet a 24,5 mil escolas públicas
Ver mais de Brasil