Imobiliária Coralli
Senado

Dilma vai faltar a leitura de defesa e não vai poder ser alvo de perguntas

06 Jul 2016 - 10h58
O advogado José Eduardo Cardozo vai fazer nesta quarta-feira (6) a leitura da defesa de Dilma Rousseff, que decidiu não comparecer à Comissão do impeachment. Cardozo concluiu que é melhor a presidenta afastada comparecer na próxima fase do processo.

 

Depois que o advogado de defesa ler o documento com os argumentos de Dilma Rousseff contra a acusação, os senadores não poderão fazer perguntas por Dilma não estar presente.

 

Nessa terça-feira, a Comissão discutiu a perícia do Senado e também as conclusões dos assistentes técnicos da acusação e defesa sobre o laudo pericial.

 

Além dos três técnicos do Senado que escreveram o laudo, falou na Comissão a assistente pericial da acusação, a especialista em finanças públicas Selene Peres Nunes, que concordou com o laudo do Senado que considerou as chamadas pedaladas fiscais como operação de crédito.

 

O assistente pericial da defesa, o advogado Ricardo Lodi Ribeiro, sustentou que a perícia inocenta a presidenta afastada ao afirmar que não houve participação direta dela nas chamadas pedaladas fiscais.

 

Depois que o advogado de Dilma ler a declaração dela contra as denúncias nesta quarta-feira, a comissão dará os prazos para as alegações finais da defesa e acusação. A próxima reunião deve ocorrer somente no dia 2 de agosto, quando o relator, senador Antônio Anastasia, do PSDB, vai apresentar o parecer aceitando ou não a denúncia contra Dilma Rousseff.

 

 

Agência Brasil

Matérias Relacionadas

Economia

União libera R$ 5 bi para financiar MEI, micro e pequena empresa

Programa integra pacote de auxílio durante pandemia da covid-19
União libera R$ 5 bi para financiar MEI, micro e pequena empresa
Economia

Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 2,05%

Previsão para a cotação do dólar oficial permanece em R$ 5,25
Mercado financeiro aumenta projeção da inflação para 2,05%
Economia

Caixa paga hoje auxílio emergencial para 9,4 milhões de trabalhadores

Para o Bolsa Família serão destinados R$ 427,6 milhões
Caixa paga hoje auxílio emergencial para 9,4 milhões de trabalhadores
Saúde

Brasil confirma 14.318 casos de covid-19 nas últimas 24 horas

No mesmo período, foram confirmadas mais 335 mortes
Brasil confirma 14.318 casos de covid-19 nas últimas 24 horas
Ver mais de Brasil