Dilma

Dilma é citada em delação sobre propina de R$ 50 milhões paga pela Odebrecht, diz revista

23 Dez 2016 - 10h30
Documentos do Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelados nesta semana, e que integram a papelada sobre o acordo de delação premiada da Odebrecht, causaram perplexidade mundial pela grandeza dos números e, pela primeira, colocar a ex-presidente Dilma Rousseff no centro de um esquema de suborno.

Segundo a papelada, o grupo Odebrecht pagou mais de US$ 1 bilhão (R$ 3,3 bilhões) em propinas a governantes e políticos de 12 países desde 2003. A maior parte desses subornos — US$ 599 milhões ou quase R$ 2 bilhões — foi repassada a autoridades brasileiras, segundo reportagem da revista Isto É, desta semana.

Entre os principais beneficiários estão a ex-presidente Dilma Rousseff. Apesar da fartura de evidências, a mais importante delas as próprias delações dos executivos da empreiteira que já apontavam a sua participação direta nas negociações de propina e caixa dois, a petista insistia em vender uma imagem de política pura e imaculada.

 

R7

Matérias Relacionadas

Economia

Entrega do Imposto de Renda com atraso tem multa a partir de hoje

Receita Federal recebeu 31.980.151 declarações
Entrega do Imposto de Renda com atraso tem multa a partir de hoje
Educação

Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021

Inep fez enquete para escolha de data de aplicação da prova
Inscritos no Enem querem prova em maio de 2021
Política

Câmara pode votar hoje proposta que adia eleições deste ano

PEC foi aprovada na semana passada no Senado
Câmara pode votar hoje proposta que adia eleições deste ano
Geral

Senado aprova projeto de combate a notícias falsas

O texto segue para a Câmara dos Deputados.
Ver mais de Brasil