Imobiliária Coralli
Dilma

Dilma é citada em delação sobre propina de R$ 50 milhões paga pela Odebrecht, diz revista

23 Dez 2016 - 10h30
Documentos do Departamento de Justiça dos Estados Unidos revelados nesta semana, e que integram a papelada sobre o acordo de delação premiada da Odebrecht, causaram perplexidade mundial pela grandeza dos números e, pela primeira, colocar a ex-presidente Dilma Rousseff no centro de um esquema de suborno.

Segundo a papelada, o grupo Odebrecht pagou mais de US$ 1 bilhão (R$ 3,3 bilhões) em propinas a governantes e políticos de 12 países desde 2003. A maior parte desses subornos — US$ 599 milhões ou quase R$ 2 bilhões — foi repassada a autoridades brasileiras, segundo reportagem da revista Isto É, desta semana.

Entre os principais beneficiários estão a ex-presidente Dilma Rousseff. Apesar da fartura de evidências, a mais importante delas as próprias delações dos executivos da empreiteira que já apontavam a sua participação direta nas negociações de propina e caixa dois, a petista insistia em vender uma imagem de política pura e imaculada.

 

R7

Matérias Relacionadas

Esportes

Nos acréscimos, Flamengo empata com Internacional no Beira-Rio

No outro jogo da noite, Grêmio vence Athletico-PR por 2 a 1
Nos acréscimos, Flamengo empata com Internacional no Beira-Rio
Saúde

Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19

Nas últimas 24 horas foram acrescidos 13 mil novos casos
Brasil acumula 5,3 milhões de casos e 157 mil mortes por covid-19
Economia

Banco Central registra recorde de remessas de dólares para o Brasil

Alta do dólar estimula transferências de brasileiros no exterior
Banco Central registra recorde de remessas de dólares para o Brasil
Economia

Pix poderá ser usado para recolhimento do FGTS

A nova possibilidade poderá ser usada em 2021
Pix poderá ser usado para recolhimento do FGTS
Ver mais de Brasil