Imobiliária Coralli
Inadimplência

Desemprego vira vilão do aumento de calote do brasileiro

05 Jul 2016 - 11h52
O desemprego, conhecido pelos especialistas como uma causa extraordinária, ou de menor peso entre os motivos que levam o consumidor ao endividamento, vem crescendo rapidamente sua participação nas contas em atraso do brasileiro e já é apontado como principal motivo da inadimplência. A perda da renda está se aproximando de causas bem conhecidas, como a bola de neve, provocada pelo descontrole do orçamento doméstico diante de juros estratosféricos do cartão de crédito e do cheque especial.

Segundo mapeamento realizado pelo Siscom, instituição especializada na recuperação de crédito, com um milhão de inadimplentes em sua carteira, historicamente o desemprego era apontado por 15% dos consumidores como razão principal para o endividamento, agora, já é citado por 48% dos inadimplentes como principal motivo para a ciranda de dívidas. O percentual é 20% superior ao mesmo período do ano passado.

O encarecimento de contas básicas, como energia elétrica, água, telefonia e supermercado, somado à perda do emprego, empurra o consumidor para uma série de dívidas que, por consumirem grande fatia da renda, podem se tornar impagáveis.

Segundo o Siscom, o número de endividados no setor de veículos cresceu 7% em relação a junho de 2015 e a falta de pagamentos relacionados à área de imóveis registrou alta de 66%, empurrados pelo desemprego.

Especialistas lembram que a renda, por força de lei, não pode ser comprometida em mais de 30% com o crédito consignado e outros 5% com cartão de crédito, mas é comum o brasileiro ter outros empréstimos que devoram o salário, tornando em pouco tempo as dívidas impagáveis

 

 

Estado de Minas

Matérias Relacionadas

Economia

Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo

Indicador está 3,1 pontos abaixo do registrado antes da pandemia
Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo
Economia

Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro

Expansão é de 14,4% na comparação com agosto
Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
Economia

IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto

A taxa de desocupação atingiu 14,3%, na quarta semana do mês
IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
Esportes

Chape encara Náutico nos Aflitos para encostar na liderança da Série B

No outro jogo da noite, Confiança e Guarani querem se afastar do Z4
Chape encara Náutico nos Aflitos para encostar na liderança da Série B
Ver mais de Brasil