Unimed - Capa
Futebol

Demitido, Bento seguirá na folha salarial do Cruzeiro até o fim de 2017

26 Jul 2016 - 15h13
A demissão do técnico, confirmada nessa segunda-feira (25) pela assessoria de imprensa, encerra uma passagem de 75 dias pela Toca da Raposa II. O português, no entanto, receberá cerca de R$ 7 milhões do clube.

Conforme o antigo vínculo, o lusitano tem direito a embolsar R$ 400 mil mensais enquanto permanecer desempregado. A validade do acordo é até dezembro de 2017, quando se encerraria o compromisso. O gringo, portanto, permanece na folha de pagamento dos mineiros se não encontrar um novo time para dirigir neste período.

Como restam 17 meses para o término do acordo, Paulo Bento tem direito a receber R$ 6,8 milhões do Cruzeiro. O montante não inclui os demais membros da comissão técnica do português.

Os salários dos auxiliares Ricardo Peres e Sérgio Costa, do observador Vitor Silvestre e do preparador físico Pedro Pereira não entram na conta. O quarteto recebia R$ 130 mil por mês em Belo Horizonte.

A chegada de outro comandante – Mano Menezes – faz com que o clube tenha que pagar vencimentos de dois técnicos nos próximos meses. O gaúcho receberá cerca de R$ 500 mil por mês no retorno à Toca da Raposa II. O salário será semelhante ao de sua primeira passagem pelo clube, entre setembro e dezembro de 2015. A soma dos valores será de aproximadamente R$ 900 mil.

 

Matérias Relacionadas

Saúde

“Jamais esteve sob análise privatizar o SUS”, diz Guedes

Ministro falou na audiência virtual da Comissão Mista do Congresso
“Jamais esteve sob análise privatizar o SUS”, diz Guedes
Economia

Déficit primário do Governo Central atinge R$76,16 bilhões em setembro

Resultado foi melhor que o esperado pelas instituições financeiras
Déficit primário do Governo Central atinge R$76,16 bilhões em setembro
Eleições 2020

Mato Grosso será o único estado a escolher um senador

Vaga foi aberta com cassação da senadora Selma Arruda
Mato Grosso será o único estado a escolher um senador
Economia

Décimo terceiro salário deve injetar R$ 208 bi na economia

O montante é 5,4% inferior ao registrado em 2019, diz CNC
Décimo terceiro salário deve injetar R$ 208 bi na economia
Ver mais de Brasil