Covid - 19
Correios

Correios reajustam tarifas em 10,6%

20 Jun 2016 - 14h29
O Ministério da Fazenda autorizou reajuste das tarifas dos serviços postais e telegráficos, nacionais e internacionais, prestados exclusivamente pela Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) e determinou que o Ministério das Comunicações aplique um aumento linear de até 10,641% sobre todo o rol de tarifas e preços públicos cobrados pela empresa nos serviços postais de monopólio. A portaria com a decisão está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta segunda-feira, 20.

Sem dinheiro em caixa até para pagar salários de empregados, os Correios esperavam esse aumento nas tarifas desde abril. Conforme o Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado, apurou no início do mês, com fontes, o represamento do preço das tarifas de serviços pelo governo para evitar impactos na inflação seria um dos principais fatores do prejuízo da estatal.

Mesmo com o reajuste de 8,89% dado pelo governo em dezembro de 2015 às tarifas de entrega de cartas e telegramas, a defasagem retirou cerca de R$ 350 milhões dos Correios no ano passado. Também apesar do reajuste de 2015, os cálculos são de que as tarifas ainda continuavam defasadas em torno de 8%.

 

Agência Brasil

Matérias Relacionadas

Geral

Guedes diz que Brasil precisa de apoio para preservação ambiental

Ministro destaca compromisso com soberania da Amazônia
Guedes diz que Brasil precisa de apoio para preservação ambiental
Economia

Setor de segurança tem alta de 40% na busca por tecnologia inteligente

Busca por portaria remota cresceu 20%, revela pesquisa
Setor de segurança tem alta de 40% na busca por tecnologia inteligente
Política

Fiocruz e dois hospitais devem criar protocolos para eleições, diz TSE

A medida se deve a pandemia do novo coronavírus
Fiocruz e dois hospitais devem criar protocolos para eleições, diz TSE
Economia

Mercado financeiro projeta queda de 6,1% na economia neste ano

A informação foi divulgada hoje pelo Banco Central
Mercado financeiro projeta queda de 6,1% na economia neste ano
Ver mais de Brasil