transito
Brasil

Correção: Em luta equilibrada, Canelo vence GGG e chega ao 2.º título peso médio

16 Set 2018 - 12h37
O texto da nota enviada anteriormente foi enviado por engano. Segue o texto correto abaixo.

Os 21.965 espectadores que lotaram a T-Mobile Arena, em Las Vegas, foram premiados neste sábado à noite, com uma das maiores lutas de boxe dos últimos anos. Com uma atuação soberba o mexicano Saúl Canelo Álvarez derrotou, por pontos, após 12 rounds, o casaque Gennady GGG Golovkin. Um dos jurados deu empate em 114 pontos e outros dois viram o mexicano superior e anotaram 115 a 113.

Com este resultado, Canelo ficou com os cinturões do Conselho Mundial de Boxe e Associação Mundial de Boxe. GGG perdeu os após 20 defesas vitoriosas consecutivas.
Canelo, de 28 anos, alcança a 50ª vitória (34 nocautes), uma derrota e dois empates. Aos 36 anos, GGG perdeu pela primeira vez na carreira profissional, após 38 vitórias (34 nocautes) e um empate.

Canelo recebeu US$ 5 milhões de bolsa, enquanto GGG ficou com US$ 4 milhões. Mas o ganho dos pugilistas deverá ser bem maior. Ambos vão receber porcentagens pela venda do sistema pay per view e outros patrocinadores. Com isso, o rendimento do mexicano poderá atingir US$ 50 milhões e o do casaque US$ 30 milhões.

"Eu mostrei minha vitória com fatos. Ele foi o único a caminhar para trás. Sinto-me satisfeito por que fiz uma grande luta. Minha vitória foi clara", disse Canelo, que terminou a luta com um corte no supercílio esquerdo e com o nariz sangrando.
"Acho que lutei melhor do que Canelo. O público deve ter gostado da luta. Mas os juízes acharam que a vitória foi dele", afirmou Canelo, que deixou o ringue sem dar entrevista e recebeu oito pontos no supercílio direito.

A Luta - O combate, que teve a presença de dezenas de celebridades como Mike Tyson, Will Smith, LeBron James e Denzel Washington, começou com uma disputa de jab violenta. Nenhum dos dois deu um passo para trás, mas ambos descartaram a possibilidade de clinche, o que tornou o juiz Benjy Esteves Jr um espectador privilegiado.

Canelo mostrou maior velocidade nos punhos, enquanto GGG foi mais potente.
GGG foi o primeiro a se movimentar mais e deu a iniciativa do combate para Canelo a partir do sexto round. No décimo, Canelo foi para as cordas e tentou usar mais os contra-ataques.

Ambos souberam castigar a linha de cintura do rival e ambas as esquerdas foram eficazes para furar o bloqueio. A decisão dos jurados só foi definida após o último round, pois os três jurados apontavam até o 11º assalto 105 a 104 para Canelo.

A vitória de Canelo causou certa polêmica, pois as opiniões se dividiram, com muitos críticos apontando GGG como vencedor e outros tantos apontando um segundo empate, o que repetiria o resultado do ano passado.

"Se for do gosto dos fãs, estou pronto para uma terceira luta", disse Canelo, que foi flagrado no doping no início do ano, adiando o duelo que estava previsto para maio. "Eu quero muito uma terceira luta. Acho que tenho direito", afirmou o ex-campeão GGG. Os números apontam também apontam equilíbrio. Canelo acertou 202 dos 622 golpes (33%) enquanto GGG conectou 234 dos 879 golpes (27%).

Matérias Relacionadas

Economia

Copom decide nesta quarta se corta ou mantém juros básicos da economia

Taxa Selic, em 10,5% ao ano, pode ser mantida ou cair 0,25 ponto
Copom decide nesta quarta se corta ou mantém juros básicos da economia
Segurança

Mais de 20 cidades Catarinenses são alvos de operação de combate à corrupção e fraudes

A operação "Fundraising" cumpre 11 mandados de prisão preventiva, cinco de suspensão do exercício das funções públicas e 63 de busca e apreensão.
Mais de 20 cidades Catarinenses são alvos de operação de combate à corrupção e fraudes
Geral

(VÍDEO) Avião 'dá cambalhota' durante pouso em aeroporto do Paraná

Rajada de vento teria provocado o acidente
(VÍDEO) Avião 'dá cambalhota' durante pouso em aeroporto do Paraná
Geral

STF retomará julgamento sobre descriminalização do porte de drogas

Matéria será discutida na quinta-feira (20)
STF retomará julgamento sobre descriminalização do porte de drogas
Ver mais de Brasil