Caraguá
Senado

Congresso retoma atividades nesta semana

06 Mar 2017 - 11h19

Após mais de dez dias de folga no carnaval, o Congresso Nacional retomará as atividades nesta semana.




Passado o feriado prolongado, os senadores deverão votar o projeto que permite ao contribuinte que mantém recursos não declarados no exterior regularizar a situação junto à Receita, a chamada repatriação.



Na Câmara, as comissões especiais que debatem as reformas previdenciária e trabalhista realizarão audiências públicas.




 

Senado



 



Está prevista para esta semana no Senado a votação, em plenário, do projeto que reabre em 2017 o prazo de adesão ao programa de repatriação.



O texto já foi aprovado pelo Senado no ano passado, mas, ao tramitar na Câmara, foi modificado. Ao analisar a proposta, os deputados retiraram a possibilidade de parentes de políticos e de agentes públicos poderem aderir ao programa.





Em 2016, quando a repatriação teve a primeira etapa, o contribuinte, para regularizar a situação, tinha de pagar multa de 15% e imposto de renda de 15%. No ano passado, ao aprovar a nova fase, o Senado mudou os dois percentuais para 17,5%. Na Câmara, contudo, os deputados aprovaram 15% de imposto de renda e 20% de multa – entenda as regras.



Se o projeto for aprovado pelo Senado, o governo, estima arrecadar até R$ 30 bilhões. Parte do montante pago pelo contribuinte será dividida com estados e municípios.




 

Além do projeto da repatriação, também estão na pauta de votações do Senado para esta semana três propostas de emenda à Constituição (PECs).




 

  • A primeira: proíbe a edição de medidas provisórias que possam ter impacto financeiro nos contratos administrativos, inclusive nos casos de concessão de serviços públicos e de parcerias público-privada, exceto MPs que tratem de matéria tributária. Uma medida provisória tem força de lei e vale por até 120 dias, prazo que o Congresso tem para analisá-la;

  • A segunda: autoriza os parlamentares a apresentar emendas individuais para que os recursos sejam destinados aos fundos de participação dos estados (FPE) e dos municípios (FPM), com indicação expressa do ente federado beneficiado. Pelas regras atuais, o destino dos recursos é definido para uma área específica, como a construção de uma ponte;

  • A terceira: estabelece medidas de desburocratização da administração pública. Um dos pontos é a retirada da previsão de que pessoa jurídica em débito com o sistema da seguridade social não pode contratar com o poder público nem receber benefícios fiscais.


G1

Matérias Relacionadas

Economia

Governo anuncia leilão para compra simplificada de energia em outubro

Recomendação é do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico
Governo anuncia leilão para compra simplificada de energia em outubro
Geral

Gustavo Bardim se apresenta na semifinal do The Voice Kids neste domingo

Veja como votar
Gustavo Bardim se apresenta na semifinal do The Voice Kids neste domingo
Geral

Evento online quer potencializar recursos de incentivos fiscais a projetos sociais em SC

O tema será abordado pelo assessor de Responsabilidade Social da FIESC, Sandro Volpato Faria, e pela líder do programa Fundo Social, Andressa Mongruel Martins Vicenzi
Saúde

Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes

Sociedade Brasileira de Imunizações também defende vacinação
Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes
Ver mais de Brasil