Caraguá
Olimpíada

COI aprova surfe, beisebol, caratê e skate em Tóquio-2020

03 Ago 2016 - 21h22
É considerada a maior reforma do programa olímpico moderno, mas só vale para a cidade japonesa.

Além do skate e do surfe, foram incluídos o beisebol, a escalada esportiva e o caratê. Houve um processo seletivo que começou com 26 esportes e chegou a esses cinco finais propostos pelo Comitê de Tóquio, e agora aprovados pelo Congresso do COI.

Serão tomadas medidas para manter o número de 10.500 atletas na vila, o que pode levar a redução de modalidades ou a reorganização dos Jogos para não provocar gigantismo nos Jogos. "Vamos tomar cuidado para que não impacte no nosso orçamento", contou o diretor do comitê organizador de Tóquio, Toshiro Muto. A expectativa é de mais 470 atletas, em torno de 5% a mais do que anteriormente.

Em todos os relatórios dos esportes estão descritos o número de seguidores de cada federação no Facebook, no Twitter, no Instagram e no canal do Youtube. Quem tem os números mais significativos é o skate com 2,2 milhões de seguidos no Facebook. "Há interesse das pessoas jovens e os atletas top vão participar"; disse o membro do COI, Franco Carraro, que fez o relatório sobre os esportes.

"Os skatistas têm grande presença na mídia digital e influenciam milhões de seguidores na mídia social", afirma o relatório do COI. A mesma observação é feita em relação ao surfe. "Os melhores surfistas vão atrais uma nova onda de jovens fãs para o movimento olímpico."
Embora a federação de surfe tenha menos seguidores no Facebook e no Twitter, seus vídeos durante as competições tem até 11 milhões de pages views, segundo o relatório. A tendência é que o surfe seja disputado afastado de Tóquio em uma praia a ser escolhida. A ideia seria criar um ambiente de jovens com festas na praia. Para o Brasil, seria o esporte com mais chances de medalhas considerando os últimos resultados dos surfistas no Circuito Mundial - Gabriel Medina e Adriano de Souza foram campeões nos dois últimos anos.


O beisebol voltou aos Jogos porque representa a possibilidade de grandes receitas de bilheteria no Japão, onde o esporte goza de imensa popularidade. Há uma preocupação se os atletas profissionais poderão participar já que ainda não existe um acordo fechado com a liga americana. Houve questionamentos sobre isso no Congresso do COI.

"Não temos a garantia dos que jogam nos EUA", reconheceu o membro do COI, Franco Carraro, encarregado do relatório sobre o Tóquio. "Teremos que negociar com a Liga Americana. Se não houver acordo, será muito difícil o beisebol continuar no futuro."

Outro que tem tradição no país asiático é o caratê. Por fim, há a escalada esportiva, outro esporte ligado a gerações mais novas.

 

imagem: Christophe Simon/AFP

Texto: UOL.

Matérias Relacionadas

Geral

Evento online quer potencializar recursos de incentivos fiscais a projetos sociais em SC

O tema será abordado pelo assessor de Responsabilidade Social da FIESC, Sandro Volpato Faria, e pela líder do programa Fundo Social, Andressa Mongruel Martins Vicenzi
Saúde

Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes

Sociedade Brasileira de Imunizações também defende vacinação
Conselhos de secretários de Saúde defendem vacinação de adolescentes
Economia

Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança

Banco reduziu parte fixa da parcela de 3,35% para 2,95% ao ano
Caixa reduz juros do crédito habitacional na modalidade poupança
Saúde

Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes

Ministério da Saúde suspendeu orientação para a vacinação
Anvisa não recomenda mudar orientação sobre vacinação de adolescentes
Ver mais de Brasil