Caraguá
Olimpíada

Brasileiras elogiam Holanda e lamentam jogo ruim: "inadmissível jogar mal"

16 Ago 2016 - 15h07
No entanto, nada deu certo na apresentação brasileira. Dificuldade em superar a marcação rival, sistema defensivo pouco produtivo e arremessos errados foram a tônica da atuação brasileira. Após a partida, Dara, que se aposentará da seleção, relatou que nada foi como planejado antes da partida.

“Infelizmente não é da maneira que gostaria. Nosso jogo não entrou justo no dia que tinha que entrar, hoje era inadmissível jogar mal e a gente não acertou.  Um dia a gente faz bem, outro faz mal, infelizmente hoje a gente foi mal. O nosso jogo hoje não entrou, nosso ataque não foi feliz nas finalizações, erramos coisas no primeiro tempo que deram segurança para a outra equipe. Infelizmente, alguém, tinha que perder, fomos nós”, declarou Dara, em entrevista ao canal "Sportv".

Quem corroborou a opinião de Dara foi a goleira Mayssa, que reclamou dos erros nos arremessos de seis metros. De acordo com a atleta, a seleção brasileira foi bastante estudada pelas holandesas, já que este foi o terceiro duelo entre as seleções. Nos dois anteriores, disputados antes da Rio-2016, o Brasil venceu um e empatou outro.

“Eu acho que o que aconteceu contra a Espanha, aconteceu de novo. Não fizemos tudo que o Morten falou, teve muito arremesso de 6 metros. Não deu certo, a defesa não funcionou e o ataque também não foi bem.  Hoje foi o dia delas, do mesmo jeito que a gente estuda, elas também estudam. Não era pra ser, logo no dia que tinha que ser, que era matar ou morrer. De todo esse trabalho, às vezes o esporte é muito injusto. Óbvio que tudo que está bem pode acabar numa infelicidade. Hoje foi assim”, avaliou Mayssa, em entrevista ao mesmo canal.

Alexandra, uma das poucas jogadoras da seleção a atuar bem diante das holandesas, destacou o fato de ter que correr atrás do placar durante toda a partida dificultou a reação brasileira.

“Não paramos as chutadoras delas e tivemos dificuldade de atacar em alguns momentos. Como a gente não fazia gol, elas vinham fortes no contra-ataque e no final não conseguimos empatar o placar. Elas surpreenderam, fizeram o trabalho direito, a gente não conseguiu parar o ataque delas, a defesa não funcionou muito bem, infelizmente não conseguimos o que queríamos, que era uma vaga na semifinal e, depois, na final”, relatou Alexandra.

Por fim, Fernanda declarou que atuar em duas oportunidades com uma jogadora a menos foi prejudicial para o Brasil, que não conseguia conter as holandesas quando estava em inferioridade numérica.

“É difícil falar agora, é muito triste. A gente se preparou para isso aqui, e a Holanda foi melhor o jogo inteiro. Acho que ficamos bastante tempo com uma jogadora a menos e elas aproveitaram todas as chances com um jogador a mais na quadra e não conseguimos recuperar”, concluiu Alexandra.

Matérias Relacionadas

Geral

Prazo para prova de vida de servidores aposentados acaba dia 30

Comprovação deve ser feita no banco onde beneficiário recebe dinheiro
Prazo para prova de vida de servidores aposentados acaba dia 30
Educação

UniSociesc amplia portfólio de pós-graduação de seis meses

A partir de agora serão ofertados 32 cursos lato sensu nesta modalidade em oito áreas do conhecimento
UniSociesc amplia portfólio de pós-graduação de seis meses
Saúde

Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos

Em 2020, recusa à doação de órgãos por parentes ficou em 37,8%
Campanha foca em conversa com família para aumentar doação de órgãos
Política

Empresário Luciano Hang deve depor na CPI da Covid

Em comunicado, o empresário afirmou que desde o princípio defendeu que era preciso cuidar da saúde sem descuidar da economia
Empresário Luciano Hang deve depor na CPI da Covid
Ver mais de Brasil