105 Ouça
Brasil

Brasil tem 6,5 homicídios por hora

25 Ago 2016 - 12h36
O Brasil registrou 57 mil homicídios em 2014, de acordo com o estudo “Mapa da Violência 2016, coordenado pelo professor e sociólogo Julio Jacobo Waiselfisz, diretor de pesquisa do Instituto Sangari e coordenador da Área de Estudos sobre Violência da Faculdade Latino-americana de Ciências Sociais (FLACSO). O dado corresponde a 6,5 assassinatos por hora.

Publicado pela primeira vez em 2005, o levantamento conclui que “ficou evidente o progressivo, sistemático e ininterrupto incremento das taxas de homicídio por arma de fogo”. O estudo avalia dados de mortes causadas por acidente, homicídio, suicídio ou motivo indeterminado causadas com uso de arma de fogo entre 1980 e 2014.

O levantamento usou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)  do Ministério da Saúde de 2014 para mostrar a evolução da violência em estados e municípios brasileiros.

O estudo aponta uma média nacional de 29 mortes a cada grupo de 100 mil pessoas. A cidade mais violenta do país, naquele ano, foi São Luís, no Maranhão, onde a taxa de homicídio era de 90 para cada 100 mil habitantes.

De acordo com o estudo, Alagoas é o estado mais violento para a população negra. No estado nordestino, a cada 13 vítimas de homicídio, 12 são negras.

Segundo o historiador e presidente da Sociedade Maranhense dos Direitos Humanos, Renato Sérgio de Lima, a chegada de facções criminosas vindas do Sudeste do país é a principal causa do aumento da violência em São Luís, no Maranhão.

“No período do começo dos anos 2000 até 2014 experimentou-se uma onda de violência relacionada à expansão do crime organizado com uma nova configuração das facções criminosas que se organizaram, em primeiro lugar, dentro do sistema prisional, e também fez conexão com facções nacionais colocando a cidade em uma situação de disputa de territórios.”

Crescimento nas capitais
Os dados publicados nesta quinta-feira (25) apontam que, em 2014, as capitais com maior número de mortes a cada 100 mil habitantes eram Fortaleza (81,5), Maceió (73,7) e São Luís (67,1). Brasília (26,4) ocupa a 19º posição do ranking da violência.

Em 2004, Recife liderava a lista com 77,8 mortes a cada 100 mil habitantes e era seguida por Vitória (66), Belo Horizonte (58,1), Maceió (51), Rio de Janeiro (44,8) e Porto Velho (37,8). Naquele ano, a capital federal era a 14ª cidade mais violenta do país, com 26,1 mortes.

Entre 2004 e 2014, o Distrito Federal registrou aumento de 39,3% no número de homicídios por arma de fogo. No último ano do estudo, a unidade da federação que apresentou maior número de homicídios para cada 100 mil habitantes foi Alagoas, com 56,1.

De acordo com o estudo, o aumento da violência entre 1980 e 1994 na região sudeste do país se deu por causa do desenvolvimento econômico na região. O crescimento atraiu investimentos, migrações e violência.

 

Fonte - G1
GNet

Matérias Relacionadas

Esportes

Palmeiras é tricampeão da Copa Libertadores da América

Deyverson saiu do banco de reserva e definiu título na prorrogação.
Palmeiras é tricampeão da Copa Libertadores da América
Saúde

Não há casos da nova variante identificados no Brasil, diz ministério

Variante B1.1.529 foi batizada de Omicron
Não há casos da nova variante identificados no Brasil, diz ministério
Esportes

Flamengo e Palmeiras buscam a glória eterna da Libertadores

O jogo coloca frente a frente os dois últimos vencedores da competição (o Rubro-Negro da edição 2019 e o Verdão da edição 2020)
Flamengo e Palmeiras buscam a glória eterna da Libertadores
Saúde

Covid-19: ministro anuncia proibição de voos oriundos de seis países

Variante Ômicron preocupa autoridades sanitárias
Covid-19: ministro anuncia proibição de voos oriundos de seis países
Ver mais de Brasil