INSS

Auxílio-doença exige 12 meses de contribuição

19 Jul 2016 - 13h49
Os trabalhadores que deixaram de contribuir para o INSS por muito tempo só poderão dar entrada em pedido de concessão do auxílio-doença depois que comprovarem que têm um ano de contribuições previdenciárias. O aumento da chamada carência para requerer o benefício e, assim retomar a condição de segurado do INSS, foi determinada com a reedição da Medida Provisória 739 no dia 12 deste mês pelo governo Temer. Inicialmente, o prazo exigido para a concessão do auxílio era de quatro meses. A MP também prevê 12 meses de contribuições previdenciárias para quem precisa dar entrada no pedido de aposentadoria por invalidez.

A reedição da MP também alterou o prazo de carência para as mulheres que precisam tirar licença-maternidade. Até então, o período de exigência era de três meses para garantir o benefício. Agora, com a mudança, o tempo mínimo de contribuição passou a ser de 10 meses. A perda da qualidade de segurado se dá quando o trabalhador fica sem recolher para a Previdência Social. Quem tem carteira assina perde essa condição quando interrompe as contribuições ao INSS por mais de 12 meses, por exemplo.

CONVOCAÇÃO PARA PERÍCIA

A MP 739 foi publicada no dia 8 de julho e estabelece parâmetros para revisão, por meio de novas perícias,de benefícios por incapacidade em vigor há mais de 24 meses e determinados pela Justiça. O governo quer passar pente-fino para verificar se há fraudes. A MP define ainda prazo de 120 dias para o término do benefício de auxílio-doença concedido por meio de decisão judicial. Em todo o país, as revisões devem gerar economia de R$7,1 bilhões por ano.

O governo convocará por carta os segurados que recebem benefícios há mais de dois anos para fazer nova perícia. A expectativa é que as convocações comecem em agosto. A MP prevê a possibilidade de os exames serem feitos em mutirões organizados pelo INSS.

No Município do Rio, 30 mil aposentados por invalidez e segurados que recebem auxílio-doença há mais de dois anos serão alvo de nova perícia médica. Deste total, 8.164 auxílios e 3.763 aposentadorias foram concedidas por meio de ação judicial e não têm prazo de suspensão previsto.

O novo presidente do INSS, Leonardo Gadelha, confirmou que aposentados por invalidez acima de 60 anos e com mais de dois anos de concessão do benefício ficarão de fora do pente-fino.

 

 

O Dia

Matérias Relacionadas

Brasil

Planta unha-de-gato pode combater tumores, descobrem cientistas brasileiros

A planta está na lista medicinal do SUS há mais de 10 anos
Planta unha-de-gato pode combater tumores, descobrem cientistas brasileiros
Educação

Carregador de celular com energia solar é criado por alunos de 13 anos

Bruno Henrique Muniz Meira e Gabriel Guimarães Prates, ambos com 13 anos, estudam no 8º ano da Escola Estadual João Arruda Brasil
Carregador de celular com energia solar é criado por alunos de 13 anos
Geral

Brasileira selecionada para missão espacial poderá ser 1ª astronauta do país

Dos seis jovens escolhidos, entre profissionais de várias nacionalidades, cinco são mulheres
Brasileira selecionada para missão espacial poderá ser 1ª astronauta do país
Economia

Reforma tributária elevará PIB do país

Os economistas Bernard Appy e Paulo Rabello de Castro apresentaram propostas de reforma tributária, defenderam a simplificação do sistema atual e destacaram que a reforma vai elevar o Produto Interno Bruto (PIB) do país.
Reforma tributária elevará PIB do país
Ver mais de Brasil