Covid - 19
Economia

Após 7 altas, confiança do comércio fica estável em, dezembro

21 Dez 2016 - 11h26

A confiança dos comerciantes ficou estável em dezembro (0,0%), na série livre de influências sazonais, mostrou o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), divulgado nesta terça-feira (20) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).




Com 96,01 pontos contra 96,03 em novembro, a estabilidade do índice interrompe uma sequência de sete meses de alta na série com ajuste sazonal (veja o gráfico acima). Por outro lado, o índice cresceu 24,1% em relação a ao mesmo mês de 2015. O Icec ainda se encontra em um patamar negativo, abaixo dos 100 pontos.



Percepção do presente
O subíndice do Icec que mede a percepção dos comerciantes sobre a situação presente do negócio recuou 0,9% em dezembro. Após consecutivas quedas, a avaliação das condições atuais vinha melhorando desde fevereiro deste ano, movimento que foi interrompido este mês, segundo a CNC.



Quanto às condições atuais da economia, a percepção dos varejistas piorou em dezembro, com queda de 3,6%, assim como em relação ao desempenho do comércio, que caiu 0,7%, enquanto melhorou em comparação ao desempenho da empresa, com alta de 0,5%.



Segundo a pesquisa, a proporção de comerciantes que avaliam as condições atuais da economia como “piores” é menor, mas continua elevada. Para 79,8% dos varejistas, a economia piorou em dezembro.



G1

Matérias Relacionadas

Esportes

CBF anuncia novo calendário do futebol brasileiro

Início das Copas Libertadores e Sul-Americana segue indefinido
CBF anuncia novo calendário do futebol brasileiro
Geral

IBGE pesquisa impacto da pandemia nas empresas

Primeiros resultados serão divulgados na próxima semana
IBGE pesquisa impacto da pandemia nas empresas
Saúde

IBGE promove pesquisa sobre covid por telefone

Cerca de dois mil agentes do IBGE fazem contato por telefone com 193,6 mil domicílios de 3.364 municípios de todos os estados do país
IBGE promove pesquisa sobre covid por telefone
Educação

Sebrae: cresce interesse por cursos a distância para empreender

Inscrições este ano, até o momento, chegam a 1,5 milhão de pessoas
Sebrae: cresce interesse por cursos a distância para empreender
Ver mais de Brasil